ASF recebeu e processou mais 10% reclamações em 2019

O supervisor das companhias de seguros e fundos de pensões faz saber, no seu relatório, que menos de 5% dos processos de reclamação não foram resolvidos através deste mecanismo, além de salientar o aumento nas reclamações processadas.

DR

A Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) reporta mais 10% de reclamações recebidas em 2019 do quem no ano anterior, resultando também em mais 13% de processos analisados. Por outro lado, 4,9% dos processos não foram resolvidos pela reclamação feita, tendo tramitado para outras vias.

O Relatório de Regulação e Supervisão da Conduta de Mercado da ASF dá conta de 9.415 reclamações analisadas em 9.989 processos, uma taxa de análises concluídas de 94,25%. O ramo “Não Vida” continua a concentrar a grande maioria das reclamações, com 88,71% das registadas em 2019, enquanto que o ramo “Vida” foi responsável por 10,75%.

Dentro do “Não Vida”, destaque para as reclamações associadas a seguros automóveis, com 37,1% do total recebido ligado a este ramo, seguido dos seguros de acidente e doença, com 25,6%, e dos de incêndio e outros danos, com 18,9%. Destes, as reclamações associadas a seguros contra acidentes e doença foram os que registaram uma taxa de respostas favoráveis mais elevada, com 44% dos processos a serem decididos a favor do cliente. Seguem-se os casos ligados a seguros de assistência (33,8%) e automóvel (32,5%).

A ASF analisou também a distribuição das reclamações por seguradora nos setores automóvel e de acidentes de trabalho, constatando que, no primeiro caso, a Popular reuniu o maior número de reclamações em função do volume de prémios que detém, enquanto que a AIG registou o número mais baixo. No caso dos seguros contra acidentes de trabalho, a Seguradoras Unidas regista o maior número de reclamações por volume de prémios, enquanto a Zurich ficou no outro extremo da classificação.

Ainda no ramo Não Vida, mais de metade das reclamações efetuadas prenderam-se com a regularização de sinistros, seja por definição de responsabilidades, prazos ou indemnização. Concretamente, estas reclamações contabilizaram 56,7 das registadas no ramo e tiveram uma taxa de respostas favoráveis de 32,1%.

No âmbito do ramo Vida conclui-se que os seguros de vida excetuando PPR, PPE e PPR/E representaram 65,2% do total de reclamações apreciadas, das quais 23,9% tiveram resposta favorável ao reclamante.

Ler mais
Recomendadas

Deutsche Bank anuncia lucros de 309 milhões de euros no terceiro trimestre

No período homólogo, o banco tinha registado um prejuízo de 832 milhões de euros.

Grupo Santander prevê redução de postos de trabalho em Portugal entre outros países

O presidente executivo (CEO) do Santander, José António Álvarez, insistiu na conferência de imprensa sobre os resultados do banco até finais de setembro, que o alcance deste novo ajustamento está ainda por determinar e que os sindicatos serão os primeiros a tomar conhecimento dele.

CEO da CGD defende que a consolidação bancária vai decorrer “nos próximos dois anos”

A consolidação da banca poderá ser impulsionada pelos resultados dos bancos nos próximos trimestres, defendeu o CEO da CGD que considera que um banco público tem de ter dimensão para poder ser relevante no mercado. O BCP defende que a consolidação será cross border. Aumentos de capital para superar a crise? CEO do BCP e o CEO do BPI rejeitam que haja essa necessidade.
Comentários