ASF recebeu e processou mais 10% reclamações em 2019

O supervisor das companhias de seguros e fundos de pensões faz saber, no seu relatório, que menos de 5% dos processos de reclamação não foram resolvidos através deste mecanismo, além de salientar o aumento nas reclamações processadas.

DR

A Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) reporta mais 10% de reclamações recebidas em 2019 do quem no ano anterior, resultando também em mais 13% de processos analisados. Por outro lado, 4,9% dos processos não foram resolvidos pela reclamação feita, tendo tramitado para outras vias.

O Relatório de Regulação e Supervisão da Conduta de Mercado da ASF dá conta de 9.415 reclamações analisadas em 9.989 processos, uma taxa de análises concluídas de 94,25%. O ramo “Não Vida” continua a concentrar a grande maioria das reclamações, com 88,71% das registadas em 2019, enquanto que o ramo “Vida” foi responsável por 10,75%.

Dentro do “Não Vida”, destaque para as reclamações associadas a seguros automóveis, com 37,1% do total recebido ligado a este ramo, seguido dos seguros de acidente e doença, com 25,6%, e dos de incêndio e outros danos, com 18,9%. Destes, as reclamações associadas a seguros contra acidentes e doença foram os que registaram uma taxa de respostas favoráveis mais elevada, com 44% dos processos a serem decididos a favor do cliente. Seguem-se os casos ligados a seguros de assistência (33,8%) e automóvel (32,5%).

A ASF analisou também a distribuição das reclamações por seguradora nos setores automóvel e de acidentes de trabalho, constatando que, no primeiro caso, a Popular reuniu o maior número de reclamações em função do volume de prémios que detém, enquanto que a AIG registou o número mais baixo. No caso dos seguros contra acidentes de trabalho, a Seguradoras Unidas regista o maior número de reclamações por volume de prémios, enquanto a Zurich ficou no outro extremo da classificação.

Ainda no ramo Não Vida, mais de metade das reclamações efetuadas prenderam-se com a regularização de sinistros, seja por definição de responsabilidades, prazos ou indemnização. Concretamente, estas reclamações contabilizaram 56,7 das registadas no ramo e tiveram uma taxa de respostas favoráveis de 32,1%.

No âmbito do ramo Vida conclui-se que os seguros de vida excetuando PPR, PPE e PPR/E representaram 65,2% do total de reclamações apreciadas, das quais 23,9% tiveram resposta favorável ao reclamante.

Ler mais
Recomendadas

“Mercados em Ação”. “Novo Banco? Se fosse em 2013, isto tinha rebentado com o mercado para Portugal”

Nesta edição do programa da JE TV, Shrikesh Laxmidas (diretor-adjunto do JE), Marco Silva (consultor de estratégia e investimento) e Pedro Lino, administrador da Optimize Investment Partners, analisaram o impacto do ‘travão’ parlamentar ao financiamento do Novo Banco.

BCE obriga bancos sistémicos a avaliarem antecipadamente o risco de incumprimento nos contratos em moratória

Há seis novas diretrizes do BCE aos bancos de importância sistémica e os CEO dos bancos têm de responder ao supervisor europeu até 31 de janeiro de 2021. O BCE diz que os bancos supervisionados devem realizar uma avaliação regular da improbabilidade de os créditos serem pagos, incluindo aqueles que estão protegidos pela moratória de pagamento, usando todas as informações relevantes e disponíveis.

Fusão do CaixaBank com o Bankia aprovada em assembleia geral

Criação do maior banco em Espanha está agora apenas dependente da aprovação das autoridades regulamentares competentes. Agência de notação financeira DBRS diz que os benefícios da fusão vão demorar tempo a serem atingidos e alerta para a deterioração do rácio de NPL do CaixaBank logo após a operação.
Comentários