Assassinato de George Floyd: Derek Chauvin condenado a 22 anos prisão

Derek Chauvin, antigo polícia da cidade norte-americana de Minneapolis, foi condenado a 22 anos e meio de prisão pelo homicídio do cidadão afro-americano George Floyd.

Jason Miczek/Reuters

Derek Chauvin, antigo polícia da cidade norte-americana de Minneapolis, foi condenado esta sexta-feira a 22 anos e meio de prisão pelo homicídio do cidadão afro-americano George Floyd, em 25 de maio de 2020.

Um ano e um mês depois do homicídio de Floyd, que desencadeou protestos massivos em várias cidades dos Estados Unidos (EUA) contra o racismo, Derek Chauvin, de 45 anos, compareceu hoje em tribunal para a leitura da sentença.

A sentença de Chauvin, que pressionou o pescoço do cidadão afro-americano durante mais de oito minutos, ficou, contudo aquém dos 30 anos de prisão pedidos pela acusação.

Recomendadas

Forças armadas polacas cada vez mais numerosas na fronteira com a Bielorrússia

Quase seis mil soldados estão agora estacionados junto à fronteira entre os dois países, após o aumento do número de travessias ilegais, que a União Europeia diz ser uma estratégia de Lukashenko.

Comissão e Parlamento aumentam pressão sobre a Polónia, que não desarma

Comissão Europeia garante que não deixará que Polónia coloque “em risco” os “valores comuns”, enquanto o Parlamento Europeu apela à defesa da primazia do direito da União Europeia, que o primeiro-ministro polaco entende que “não se estende ao sistema constitucional”.

Plano de descarbonização do Reino Unido vai atrair 90 mil milhões em investimento e criar 440 mil empregos

Apesar da boa nova, para os especialistas e ativistas as propostas continuam longe de ser suficientes para fazer frente às necessidades climáticas urgentes e a por um fim nos combustíveis fósseis.
Comentários