PremiumAssociação defende mais fiscalização no trabalho temporário

AAPESPERH, que representa as empresas de trabalho temporário, alerta que as alterações propostas pelo Governo não resolvem a “informalidade” do sector, gerando apenas mais dificuldades para o tecido produtivo.

Um efeito notório da pandemia foi a aceleração de várias tendências que se verificavam já antes da chegada da Covid-19, como o recurso ao trabalho temporário em vários sectores. Desde as plataformas eletrónicas à saúde, a chamada ‘gig economy’ expandiu-se de tal forma que o Governo quer agora avançar com novas regras para este regime, mas a associação que representa as empresas de trabalho temporário alerta que estas apenas gerarão mais dificuldades para o tecido produtivo, sem responderem aos problemas que caracterizam estas relações laborais.

A legislação laboral tem sido algo que o atual Governo tem dado vários sinais de querer atualizar, face à nova realidade do trabalho numa economia mais digitalizada e depois da adaptação à realidade pandémica. Um dos tópicos a abordar nestas alterações prende-se com o trabalho temporário, algo sinalizado pela ministra Ana Mendes Godinho já este mês.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

OE2021: Finanças descativaram 228,4 milhões até julho

O Ministério das Finanças descativou, até julho, 228,4 milhões de euros dos 1.014,7 milhões de cativos e reserva iniciais previstos, de acordo com dados da Direção-Geral do Orçamento (DGO) hoje divulgados.

Wall Street encerra apenas com Dow Jones a valorizar 0,21%

A queda do Nasdaq atenuou-se ao longo do dia, sendo que abriu sessão a desvalorizar 1,06%, para 14,887.6 pontos. Para estas perdas contribuiu a Alphabet que recua 0,75% para 2.831,2, a Microsoft desce 1,72% para 294,20 dólares e a Amazon desvaloriza 0,58% para 3.405,80.

Receita fiscal aumenta 215,8 milhões até agosto, diz DGO

“No que diz respeito à receita fiscal líquida do subsetor Estado acumulada até agosto de 2021, registou-se um crescimento de 215,8 milhões de euros (+0,8%), face ao primeiro período homólogo”, refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Comentários