Associação vê “com agrado” proposta de alargamento dos beneficiários da ADSE

A Associação 30 de Julho, que representa os beneficiários, defende que a extensão deverá abranger de imediato os contrato individuais de trabalho das entidades públicas empresariais do Estado, como o SNS e as autarquias.

A associação que representa os beneficiários da ADSE vê “com agrado” o avanço do processo de alargamento do universo de beneficiários, no âmbito do Conselho Geral e de Supervisão (CGS), mas alertou esta terça-feira que existem outros problemas no sistema que carecem de resolução.

Reiterando o desacordo com qualquer proposta que cause desigualdades e discriminação no acesso ao direito de adesão, a Associação 30 de Julho apela à revisão do atual regime de benefícios, através da alteração ao decreto lei n.º 118/83.

A proposta de alargamento de beneficiários da ADSE abarca aos trabalhadores com contrato individual de trabalho (CIT) quer sejam do Estado, entidades públicas empresariais da administração central, regional e local ou de instituições do ensino superior público.

“Vem consagrar dois aspetos da maior importância: o reconhecimento do direito dos CIT a aderir à ADSE; e o entendimento de que as entidades empregadoras devem também contribuir para o seu financiamento. Mas o método proposto pode vir a pôr em causa o efeito prático da medida, por fazer depender a inscrição destes trabalhadores da decisão das respetivas entidades empregadoras assinarem um ‘acordo de capitação’ com a ADSE”, avisa a associação,

A associação, que tem solicitado este alargamento pela importância para a sustentabilidade da ADSE e por razões de justiça, defende que a extensão deverá abranger de imediato os CIT das entidades públicas empresariais do Estado, como o SNS e as autarquias, e estender-se aos trabalhadores que renunciaram à inscrição, bem como aqueles que não se inscreveram dentro do prazo.

“Beneficiários da ADSE não têm acesso a teste à Covid-19”, denuncia sindicato dos médicos

Ler mais
Recomendadas

Alphabet com lucros de 11,25 mil milhões de dólares num terceiro trimestre em que receitas voltaram a crescer

Vindos do primeiro trimestre com uma diminuição de receitas na história da companhia, a empresa-mãe da Google volta agora em força, em parte empurrada pelas verbas associadas à publicidade.

Facebook aumenta lucro no terceiro trimestre impulsionado pela publicidade

A rede social também revela que conseguiu diminuir para metade as despesas relacionadas com “geral e administração”, em grande parte devido ao encerramento de escritórios um pouco por todo o mundo, acompanhando a tendência do teletrabalho.

Amazon com lucros 6,3 mil milhões de dólares, acima das previsões dos analistas

A empresa do homem mais rico do mundo conseguiu lucros e receitas acima das projeções dos analistas, sendo que, para o último trimestre do ano, a empresa antecipa resultados ainda mais fortes, naquela que é uma das maiores ganhadoras na pandemia.
Comentários