Assunção Cristas defende revisão da lei dos serviços mínimos

A líder do CDS, Assunção Cristas, defendeu hoje em Matosinhos que a lei dos serviços mínimos deve ser atualizada para evitar que “um grupo pequenino pare um país”, referindo-se à greve dos camionistas, que na sexta-feira foi desconvocada.

“Há uma questão de fundo para ser tratada no que diz respeito às situações de greve que é uma atualização de uma lei que está claramente fora do nosso tempo, fora do que é Portugal no século XXI, um país com uma economia aberta”, sublinhou Assunção Cristas.

Depois de uma greve em abril e outra em agosto, por melhores condições remuneratórias, os motoristas de matérias perigosas tinham previsto iniciar hoje uma nova greve que deveria terminar no dia 22.

Em declarações aos jornalistas, no final de uma visita que realizou à feira da Senhora da Hora, concelho de Matosinhos, a dirigente do CDS frisou: “Um grupo pequenino não pode parar a vida de todo um país e de todas as pessoas, das famílias, das empresas, da atividade económica”.

“Essa é a grande batalha do CDS, trouxemos essas propostas e desafiamos para um grande debate na sociedade portuguesa para se mudar a lei dos serviços mínimos. No parlamento não houve vontade de o fazer por parte das outras forças politicas, nós continuamos a achar que essa é uma das reformas de fundo que é preciso fazer no nosso país”, acrescentou.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou na sexta-feira a desconvocação da greve ao trabalho extraordinário, fins de semana e feriados que se deveria prolongar até dia 22 de setembro.

O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, revelou existir um “princípio de acordo” com a Antram que permitiu a desconvocação da greve, cujo início esteve previsto para as 00:00 de hoje.

Ler mais
Relacionadas
Francisco_São_Bento_pardal_henriques_SNMMP_sindicato_motoristas_greve

“Todo o trabalho prestado deve ser remunerado”. Saiba o que levou ao fim da greve dos motoristas

O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, revelou este sábado, 7 de setembro, existir um “acordo de princípio” com a Antram que permitiu a desconvocação da greve, cujo início esteve previsto para as 00:00 de hoje.

Pedro Nuno Santos: “Tempo de greve terminou e começou o tempo do diálogo”

“O país está cansado destas greves, não temos dúvidas de que os motoristas também, as empresas também. Foram quatro pré-avisos de greve em pouco mais de quatro meses”, afirmou Pedro Nuno Santos,
Francisco_São_Bento_pardal_henriques_SNMMP_sindicato_motoristas_greve

Greve dos motoristas desconvocada após princípio de acordo com Antram

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou hoje a desconvocação da greve ao trabalho extraordinário, fins de semana e feriados que se deveria prolongar até dia 22 de setembro.
Recomendadas

França regista 27 mortes e 11.123 infeções nas últimas 24 horas

França registou este domingo 27 mortos e 11.123 novos infetados pelo coronavírus, verificando-se um aumento das hospitalizações de dia para dia, anunciaram hoje as autoridades de saúde daquele país.

Itália regista 1.766 casos de infeção nas últimas 24 horas

A Itália registou hoje 1.766 novos casos da Covid-19, menos do que os 1.869 contabilizados no sábado, mas houve uma redução de quase 20 mil testes, de acordo com os dados divulgados pelo ministério da Saúde transalpino.

Covid-19: Espanha tenta travar contágios em Madrid. França rejeita confinamento e EUA ultrapassam 7 milhões de casos

Há medida que a segunda vaga atinge o mundo, os países tentam adotar medidas para travar o número de casos e mortes.
Comentários