Ativista ambiental Greta Thunberg vai passar pelos Açores a caminho de Espanha

“Agora, em direção aos Açores”, lê-se na última linha da publicação da ativista, que está a bordo do barco que não tem emissões poluentes.

A ativista ambiental que apelou à greve escolar pelo clima vai assistir à conferência ambiental COP25, em Madrid, mas antes vai passar pelos Açores.

Na partida de Nova Iorque, onde esteve a apelar à consciencialização pelo clima e onde se encontrou com outros ativistas, nomeadamente Leonardo DiCaprio, Greta ainda teve tempo de apelar ao voto, antes de partir no catamarã ‘La Vagabonde’ no dia 13 de novembro.

Agora, ao sexto dia de viagem, a adolescente revelou que está em direção aos Açores. “Sol enquanto navegamos a norte das Bermudas. Encontrámos tempo difícil, mas [estou] muito feliz e confortável a bordo do ‘La Vagabonde'”, lê-se na publicação da rede social Twitter, onde Greta dispõe o seu diário de bordo.

“Agora, em direção aos Açores”, lê-se na última linha da publicação da ativista, que está a bordo do barco que não tem emissões poluentes. Apesar de estar em direção à Região Autónoma dos Açores, não se sabe que ilha estará no itinerário do ‘La Vagabonde’, uma vez que o arquipélago dos Açores conta com um total de nove ilhas.

Acompanhando a viagem em direto, através da localização geográfica da embarcação ‘La Vagabonde’, é possível observar a passagem pela zona norte das Bermudas, mas simultaneamente verificar que ainda estão longe do arquipélago açoriano, podendo demorar uma semana a chegar a território português.

A jovem ativista foi convidada por diversas entidades, entre as quais o presidente da Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, José Maria Cardoso, para visitar Portugal.

“A vinda [de Greta Thunberg] a Portugal servirá para reconhecer o trabalho desta ativista no que se refere às alterações climáticas […] e também responde à vontade manifestada por vários grupos de jovens”, assumiu José Maria Cardoso esta semana, quando Greta Thunberg anunciou que ia começar a viagem até Madrid.

De relembrar que Greta Thunberg rejeita a ideia de voar de avião devido à emissão de gases poluentes, sendo que aeronáutica é um dos setores mais poluentes do planeta. Para assistir à Cimeira da ONU, em Nova Iorque, a ativista iniciou a viagem na Europa e foi até aos EUA de barco.

Ler mais
Relacionadas

Deputados da comissão de Ambiente aprovam vinda de Greta a Portugal

“Foi uma proposta apresentada por mim e aprovada por unanimidade, que foi assumida por toda a comissão. Esta é uma vontade que vem já da anterior legislatura”, disse José Maria Cardoso, em declarações à Lusa.

Itália: Greta Thunberg radicalmente contestada

O boneco com tranças imitando as da jovem sueca foi enforcado numa ponte junto à cidade de Roma. O grupo ‘The Awake’ ativo nas redes sociais, reivindica o ato.

Putin: “Ninguém explicou à Greta Thunberg que o mundo moderno é complexo e diferente”

“Posso desapontá-los, mas não partilho o entusiasmo geral em relação ao discurso de Greta Thunberg”, disse o presidente russo, reagindo ao discurso emotivo da ativista ambiental.

Greta Thunberg está perplexa com os adultos que a atacam

A jovem ativista escreveu que os atacantes “parece que atravessam todas as marcas para desviarem as atenções, uma vez que estão desesperados em impedir que se fale da crise climática e ecológica”.

Greta Thunberg vence “Nobel da Paz” alternativo

A ativista de 16 anos, que realizou um discurso emotivo nas Nações Unidas esta semana, venceu o Prémio Right Livelihood a par com Aminatou Haidar, Guo Jianmei e Davi Kopenawa Yanomami.
Recomendadas

Passes, energia renovável e eficiência. Os truques de Medina para combater as alterações climáticas

“Olhando para os dados, os últimos anos foram os mais quentes de que há registo”, afirmando que esta é uma das realidades mais visíveis no nosso país, que tem enfrentado secas extremas, incêndios e cheias.

Alterações climáticas: Lisboa ameaçada por cheias, seca, subida do nível do mar e calor excessivo

“A erosão continua, o calor excessivo aumenta, a seca meteorológica vai aumentar na zona de Setúbal e as cheias vão atacar o Tejo”, especialmente na região em que o Governo está a planear construir o aeroporto do Montijo, alerta especialista.

Habitantes do Tejo e Sado em risco de ficar debaixo de água

As consequências mais relevantes para a vida das populações no Tejo e no Sado serão as alterações nas zonas ribeirinhas e os problemas de saúde que se vão verificar por causa das ondas de calor cada vez mais frequentes e extremas.
Comentários