Auditor independente fixa contrapartida mínima da Compta em 2,48 cêntimos

Assim, deverá ser esse o montante a oferecer pela Broadloop – Investments, aos acionistas que não votaram favoravelmente a perda de qualidade de sociedade aberta da Compta.

A CMVM acaba de informar que, relativamente ao pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da Compta – Equipamentos e Serviços de Informática, o auditor independente determinou como contrapartida mínima a pagar pela Broadloop – Investments 2,48 cêntimos de euro.

A CMVM recebeu o relatório do auditor independente que foi escolhido para fixar a contrapartida mínima a oferecer no âmbito do procedimento de perda de qualidade de sociedade aberta da Compta. No seu relatório, o auditor refere que: “[d]eterminámos como contrapartida mínima a pagar pela Broadloop – Investments, 2,48 cêntimos de euro (…)”.

Assim, deverá ser esse o montante a oferecer pela Broadloop – Investments, aos acionistas que não votaram favoravelmente a perda de qualidade de sociedade aberta da Compta.

“O procedimento relativo ao pedido de perda da qualidade de sociedade aberta não se encontra ainda concluído, o que apenas sucederá com a decisão favorável da CMVM”, refere o comunicado.

Recomendadas

Prémios ‘Grandes Escolhas’ elegeram os melhores vinhos nacionais de 2019

A entrega destes 30 prémios decorreu, num jantar em Sangalhos, Anadia, numa cerimónia que pretendeu reconhecer os grandes protagonistas do mundo da enologia e da gastronomia nacionais.

SunEnergy instala 345 painéis solares nos Armazéns Reis de Aveiro

Este contrato de autoconsumo com os Armazéns Reis, empresa que se dedica ao comércio e distribuição de materiais de construção, ‘bricolage’, decoração e jardim, vai permitir uma poupança de 15 mil euros em energia, todos os anos.

Secil com expetativas positivas para 2020 no setor do cimento

De acordo com as estatísticas, o mercado de cimentos em Portugal em 2019 terá crescido cerca de 15% comparativamente ao período homólogo.
Comentários