Aulas à distância do terceiro período arrancam para 1,3 milhões de alunos na terça-feira. 11 coisas que precisa de saber

Os alunos do ensino básico e secundário vão continuar a ter aulas à distância, com o apoio das emissões televisivas que arrancam na próxima semana. Governo ainda vai decidir se alunos do 11º e 12º anos regressam às escolas.

Mais de 1,3 milhões de alunos retomam as atividades letivas na terça-feira, 14 de abril, depois das férias da Páscoa.

As escolas vão continuar fechadas até ao final do ano letivo devido à pandemia da Covid-19, mantendo-se em aberto a possibilidade dos alunos de 11º e 12º regressarem às aulas, mas essa decisão ainda terá de ser tomada pelo Governo.

Já o apoio pedagógico através da emissão televisiva, que vai servir de apoio à matéria lecionada à distância, arranca no canal da RTP Memória na próxima semana, a 20 de abril.

Os exames nacionais, por sua vez, mantêm-se, mas os alunos só vão realizar os exames que se destinam a servir para ingressar no ensino superior.

11 coisas que precisa de saber no regresso das aulas durante a pandemia da Covid-19

  1. O terceiro período inicia-se na terça-feira, 14 de abril, e termina a 26 de junho. Apesar das atividades letivas serem retomadas, as escolas vão continuar fechadas;
  2. As escolas de ensino básico (do 1º ao 9º ano) vão ficar fechadas até ao final deste ano letivo;
  3. As aulas do ensino básico (do primeiro ao nono ano) vão manter-se no modelo de ensino não presencial, com recurso às metodologias digitais e mais tarde com o apoio da emissão televisiva de conteúdos pedagógicos;
  4.  Já no ensino secundário (do 10º ao 12º ano), as aulas do 10º ano vão manter-se no modelo não presencial até ao final do ano letivo;
  5. O Governo ainda vai decidir se abre as escolas para que os alunos do 11º e 12º anos retomem as aulas presenciais;
  6. Caso os alunos do 11º e 12º anos regressem à escola, o Governo diz que as aulas, salas e turmas terão de cumprir regras de distanciamento social;
  7. O apoio pedagógico através da televisão só arranca na próxima semana, no dia 20 de abril. O Estudo em Casa é o nome do espaço que vai ser transmitido na RTP Memória (das 09h às 17h50) para alunos do 1º ao 9º ano. Os conteúdos pedagógicos temáticos serão lecionados por professores, e vão servir como ferramenta complementar ao trabalho dos professores com os seus alunos.
  8. Se os encarregados de educação dos alunos se opuserem às aulas presenciais, as faltas dos alunos serão justificadas;
  9. Os alunos do 12º apenas vão realizar exames finais nacionais nas disciplinas que escolham como prova de ingresso no âmbito do concurso nacional de acesso ao ensino superior;
  10. No caso dos alunos que estejam a terminar os ciclos de ensino básico e secundário (4º ano, 6º ano, 9º ano ou 12º ano), as suas notas de classificação de cada disciplina no final do ano vão ter por referência todo o ano letivo, incluindo o trabalho realizado no terceiro período.
  11. Vários exames e provas foram cancelados este ano letivo:
    • provas de aferição, dos 2.º, 5.º e 8.º anos de escolaridade;
    • provas finais do ensino básico, no final do 9.º ano de escolaridade;
    • provas a nível de escola, realizadas como provas finais do ensino básico;
    • exames finais nacionais, quando realizados por alunos internos, para efeitos de aprovação de disciplinas e conclusão do ensino secundário.

 

Ler mais

Recomendadas

Açores em números. Economia regional representa 2% do PIB de Portugal

Uma casa neste arquipélago vale menos 146 euros por metro quadrado do que a média nacional. Só o município de Ponta Delgada tem poder de compra per capita superior à média do país. Estes e outros indicadores estatísticos neste retrato da região autónoma.

Banco central baixa previsão sobre queda da economia brasileira para 5%

As novas estimativas estão em linha com as projeções de agentes do mercado consultados semanalmente pelo Banco Central, que prevê uma retração económica de 5,05% no PIB brasileiro em 2020. O Brasil ainda recupera de uma grave recessão entre os anos de 2015 e 2016, período em que o PIB caiu sete pontos percentuais.

Wall Street aguenta, mas perdeu fôlego ao longo do dia

Os principais índices do outro lado do Atlântico estiveram a subir, mas no final do dia acabaram por ceder. Mesmo assim, dizem os analistas, os investidores continuam a confiar em novos estímulos à economia.
Comentários