Aumento do salário mínimo? Esquerda pressiona, patrões descartam e Governo diz ainda ser “cedo”

A discussão do aumento do salário mínimo vai ser a “pedra no sapato” nas negociações para o OE2021 entre a Esquerda, Governo e patrões, escreve o “Expresso”.

DR

O aumento do salário mínimo vai ser “pedra no sapato” nas negociações à esquerda para o novo Orçamento de Estado 2021 (OE2021).

De acordo com a notícia avançada pelo “Expresso“, este sábado, o Bloco de Esquerda, PCP e PAN querem ver já o assunto discutido nas negociações deste mês. Já os patrões “nem querem ouvir falar” do aumento dos atuais 625 para os 750 euros programados para 2023.  Os patrões pedem que se suspenda o aumento programado e a esquerda nem concebe que isso se ponha em causa — querem falar do salário mínimo e dos salários mé­dios.

Para o Governo, “ainda é cedo” debater o assunto devido à crise que poderá ser desencadeada com a Covid-19, mas o semanário recorda declarações passadas do primeiro-ministro que condicionam os aumentos à “dinâmica do emprego e do crescimento económico”.

Relacionadas

BE tem “disponibilidade para negociar” com Costa, mas concentrando-se no OE2021

A coordenadora do BE, Catarina Martins, assumiu esta quarta-feira manter “toda a disponibilidade para negociar” com o Governo socialista um eventual acordo formal, mas quer concentrar-se em medidas imediatas e no Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

PCP de ‘pé atrás’ com convite de António Costa a nova “base de entendimento” para aprovar OE2021

Os comunistas defendem que é preciso romper com o que dizem ser a “política de direita” seguida pelo PS, e entendem que só uma política “patriótica e de esquerda”, e o reforço do PCP podem contribuir para “uma vida melhor e mais justa”. O PCP diz ainda que será oposição “a todos os retrocessos que o PS queira impor”.

OE2021: Rui Rio admite negociar com um Chega “mais moderado”

O social-democrata admite ponderar negociar com o partido de extrema-direita mas apenas se este mudar o seu rumo político. “Se continuar como tem ido, então aqui temos um problema porque não é possível um entendimento com o PSD”, sublinhou.
Recomendadas

PCP identifica seis cadeias de dependência externa que implicam “colonização económica e política”

Turismo, grande distribuição e a aposta no lítio e no hidrogénio não foram esquecidos na análise (muito crítica) que os comunistas fazem à economia portuguesa nas Teses que servirão de base ao XXI Congresso, que decorrerá entre 27 e 29 de novembro.

Hamas e Fatah chegam a acordo para a realização de eleições daqui a seis meses

Depois de 15 anos sem atos eleitorais, na sequência dos confrontos que resultaram da tentativa de coligação em 2006, as duas principais fações palestinianas procuram dar sinais de união numa altura em que o restante mundo árabe parece aberto à normalização dos laços com Israel.

Rainha de Inglaterra resgatada pelo governo britânico para compensar desvalorização de património

O governo de Boris Johnson vai mesmo avançar com o resgate financeiro ao património imobiliário da rainha de Inglaterra, depois deste ter desvalorizado 590 milhões de euros, fruto da pandemia de Covid-19.
Comentários