Autarcas de Braga e Mafra estiveram na África do Sul a mostrar como retêm talento e apoiam a segurança

Ricardo Rio e Hélder Sousa Silva estiveram no encontro anual da Global Parliament of Mayors, em Durban. Ao Jornal Económico, os presidente da câmara falaram da missão dos seus concelhos em relação aos Recursos Humanos e à descentralização da segurança.

Jason Reed/Reuters

O município de Braga foi escolhido para ser o modelo de criação do primeiro “hub” internacional de talento da rede internacional Global Parliament of Mayors (GPM), um ano depois de ter aderido a esta iniciativa que agrega cerca de 50 cidades a nível mundial. A missão de Braga é continuar a fazer a articulação de trabalhos entre as diferentes instituições (universidades, empresas, centros de investigação, InvestBraga…) e fazer a monitorização online das necessidades de Recursos Humanos (RH) do concelho.

“Há um historial de um ano por trás disto, quando a norte-americana Gerri Burton [managing principal da New Learning Ventures] entendeu que Braga corporizava um modelo que podia ser replicado à escala internacional. Havia interesse por parte de outras cidades, quer na componente económica quer na qualidade de vida”, explicou ao Jornal Económico (JE) o presidente da Câmara Municipal de Braga.

O “hub” internacional de talento insere-se no âmbito do projeto do GPM “Talent Cities”, que terá início em 2020, e abrange massa humana qualificada da construção civil, da metalomecânica, da tecnologia, entre outras atividades económicas.

Segundo o autarca bracarense, o município fez um mapeamento das metas de recrutamento das empresas no concelho e concluiu que as perspetivas de contratação chegam às 2 mil pessoas até 2020. “Já não estamos só a alimentar a mão-de-obra local, mas a trabalhar para atrair mais empresas, que começam cada vez mais a chegar a Braga”, referiu Ricardo Rio ao JE.

O último encontro anual desta organização, que se realizou na África do Sul, contou com a presença dos presidentes da câmara de Braga e Mafra, os únicos portugueses. Hélder Sousa Silva clarificou que o encontro permitiu a partilha de conhecimento e objetivos políticos em relação ao surf e o auxílio aos municípios na maior colaboração com os governos nacionais em questões de segurança, para gerar atratividade e desenvolvimento económico.

O autarca mafrense defende uma maior intervenção dos concelhos na segurança, em termos de infraestruturas, de reforço dos recursos materiais e do aumento do número de autarquias que implementou as designadas polícias municipais (que têm competências administrativas).

“A descentralização da segurança não tem acontecido na dimensão que queríamos. Precisamos de um grito de alerta”, apelou Hélder Sousa Silva. “Mafra é dos municípios mais seguros em Portugal É procurada para viver por muitos canadianos porque tem qualidade de vida”, afirmou o presidente da câmara, lembrando que o concelho tem implementado medidas nesta área, nomeadamente com as intervenções no quartel da GNR.

A rede GPM é liderada pelo presidente da cidade alemã de Mannheim, Peter Kurz, e reuniu-se na cidade de Durban entre os dias 9 e 11 de novembro.

Ler mais
Recomendadas

Fundador da Tesla ultrapassa Warren Buffett na lista dos mais ricos

Desde o início de 2020, as ações da empresa de Elon Musk valorizaram 259%, tornando-a a fabricante mais valiosa de Wall Street.

Amnistia Internacional: Governos devem ser responsabilizados pelas mortes de profissionais de saúde

O relatório dá ainda conta de mais de três mil trabalhadores da saúde mortos desde o começo da pandemia com Covid-19. No total, há registo de óbitos em 79 países sendo que os EUA lideram com mais de 500 mortes.

ONU: Mais de 130 milhões de pessoas no mundo poderão ficar à fome devido à pandemia

A ONU alertou que o Objetivo Fome Zero até 2030 está em risco, sendo que quase 690 milhões de pessoas passaram fome em 2019, número que pode ser agravado este ano com o impacto da pandemia.
Comentários