Autocarros de turismo vão reforçar apoio à rede ferroviária na AML

Os autocarros de turismo vão começar a apoiar, a partir da próxima segunda-feira, dia 23 de novembro, o reforço de transporte público no segmento ferroviário na AML – Área Metropolitana de Lisboa. Esta medida vai retirar trabalhadores do ‘lay off’ e permitirá o regresso à estrada de 60 veículos parados desde abril. “Cerca de sessenta […]

Os autocarros de turismo vão começar a apoiar, a partir da próxima segunda-feira, dia 23 de novembro, o reforço de transporte público no segmento ferroviário na AML – Área Metropolitana de Lisboa.

Esta medida vai retirar trabalhadores do ‘lay off’ e permitirá o regresso à estrada de 60 veículos parados desde abril.

“Cerca de sessenta autocarros de turismo, que estavam parados há mais de oito meses perante a falta de atividade turística devido ao Covid-19, voltam à estrada, no dia 23 de novembro, segunda-feira, para reforçar o transporte público feito pela CP, Fertagus e Metro Transportes do Sul, nas horas de ponta e em trajetos mais concorridos”, anuncia um comunicado da ANTROP – Associação Naciomal de Transportes de Passageiros.

Segundo a nota, “esta medida foi anunciada pelo Governo e a Área Metropolitana de Lisboa (AML), no passado dia 4 de novembro, contemplando as linhas de Sintra e também a travessia do Tejo pela ponte 25 de Abril, envolvendo autocarros de turismo e 50 motoristas que assim deixam de estar em ‘lay off’ por falta de atividade e regressam ao trabalho”.

“A ANTROP – Associação Nacional de Transportes de Passageiros congratula-se com esta decisão do Governo e da AML que vai permitir o reforço do transporte público que serve Lisboa e áreas suburbanas através da ferrovia”, prossegue o mesmo comunicado.

Luís Cabaço Martins, presidente da ANTROP, considera que “esta medida é triplamente virtuosa: para os utilizadores de transporte público porque permite aumentar a oferta nas horas e percursos mais críticos; para as empresas de transporte público porque lhes garante alguma atividade depois de oito meses deparagem forçada; e para os trabalhadores porque saem do regime de ‘lay off’, o que é muito positivo em termos sociais”.

Apesar desta solução de apoio rodoviário do turismo à ferrovia, estar previsto também para o Porto, iniciar-se-á, para já, apenas em Lisboa.

“Na linha de Sintra, está previsto um reforço da oferta na hora de ponta da manhã entre as estações ferroviárias do Cacém e da Amadora e estações do Metropolitano de Lisboa. Na Fertagus, haverá autocarros diretos da estação do Pragal para Lisboa, entre as 6h20 e as 8h; no sentido inverso, a circulação será feita entre as 17h10 e as 18h10. Na Metro Transportes do Sul, haverá reforço nas viagens por autocarro de turismo de Corroios para Cacilhas, entre as 7h20 e as 8h; entre as 16h e as 18h15 no regresso”, conclui o referido comunicado.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários