Autoeuropa regressa à produção a 27 de abril

A fábrica portuguesa da Volkswagen vai arrancar inicialmente com dois turnos, com os restantes trabalhadores a permanecerem em regime de layoff.

A Autoeuropa volta a produzir a 27 de abril depois da paragem provocada pela pandemia da Covid-19 em Portugal, anunciou a empresa aos seus trabalhadores. A fábrica portuguesa da Volkswagen vai voltar assim à produção depois de uma paragem de mês e meio com dois turnos.

Neste momento, ainda resta saber se estes dois turnos vão estar em produção total ou somente parcial, disse ao Jornal Económico o coordenador da Comissão de Trabalhadores (CT) da Autoeuropa, Fausto Dionísio.

O responsável explica que o regresso à produção deverá ser gradual pois todas as fábricas europeias da Volkswagen estão fechadas, assim como as de produção de componentes, e que muitas fronteiras terrestres também estão fechadas, como entre Portugal e Espanha, o que complica a importação de peças importantes para a produção em Portugal.

A CT avança que entre os dias 20 a 26 de março, antes da produção ser retomada, todos os trabalhadores vão estar em regime de layoff.

Enquanto a fábrica suspendeu a sua produção, 10 a 15 trabalhadores da empresa estão a produzir 100 viseiras de proteção por dia, com o objetivo de as doar a hospitais em todo o país.

A ideia partiu de alguns trabalhadores que produzem estas viseiras recorrendo à impressão 3D. As primeiras máscaras foram doadas “aos hospitais de Setúbal e do Barreiro, mas neste momento estão a ir para todo o país”, disse Fausto Dionísio ao JE a 31 de março.

Esta foi a forma encontrada pela Autoeuropa e os seus trabalhadores para contribuírem para a luta contra a epidemia do coronavírus em Portugal.

Em comunicado divulgado ontem, a Comissão de Trabalhadores avançava que depois de esgotados os 22 down days previstos para estes anos, a empresa iria usar os “créditos legais (férias, dias especiais), referentes a anos transatos” entre os dias 13 e 19 de abril, com o período de férias para este ano a “manter-se inalterado”.

Após 19 de abril, os trabalhadores que não regressarem à produção iria entrar em regime de layoff, ou através da paragem parcial ou total da atividade laboral. Mas a CT assegurou que a administração da VW Autoeuropa aceitou a sua proposta de pagar aos trabalhadores a “totalidade da remuneração mensal”.

Inicialmente, a Autoeuropa anunciou a 16 de março que iria somente reduzir a produção diária, mas a 17 de março anunciou que a produção iria parar até 29 de março. Mais tarde, a data foi novamente adiada até 12 de abril e agora para dia 27 de março.

A Autoeuropa fechou o ano de 2019 com um novo recorde de produção. A maior fábrica automóvel em Portugal produziu um total de 256.878 unidades.

Este valor representa aumento de 16,3% face a 2018, ano em que foi atingido outro recorde ao serem produzidos 223 mil unidades na fábrica portuguesa da Volkswagen, mais 106% face a 2017.

 

Autoeuropa está a produzir 100 viseiras por dia para doar a hospitais

Ler mais
Recomendadas

Estaleiros de Viana, CTT Logística e STCP apostam na inovação

A tecnologia está a diferenciar as novas soluções que respondem às necessidades dos serviços e negócios nascidos da rápida evolução que os mercados estão a ter no transporte e na logística.

Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.
Comentários