Autoridade da Concorrência aprova compra da Nowo e Oni a espanhóis da MásMovil

“O Conselho da AdC adotou uma decisão de não oposição na operação de concentração”, lê-se numa nota publicada na passada terça-feira, 15 de outubro, referindo-se à notificação de aquisição do controlo conjunto da Cabonitel.

A Autoridade da Concorrência (AdC), liderada por Margarida Matos Rosa, autorizou os espanhóis da MásMovil e do fundo GAEA Inversión a avançar com a compra da Cabonitel, que detém a empresa Nowo e a Oni.

“O Conselho da AdC adotou uma decisão de não oposição na operação de concentração”, lê-se numa nota publicada na passada terça-feira, 15 de outubro, referindo-se à notificação de aquisição do controlo conjunto da Cabonitel, que foi noticiado no passado dia 18 de agosto.

A decisão tomada surgiu “uma vez que a mesma [operação de compra] não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva no mercado nacional ou numa parte substancial deste”.

Antes da aquisição das empresas ter sido aprovada pela entidade liderada por Margarida Matos Rosa, a Nowo e a Oni eram detidas pela Cabolink, sociedade de direito luxemburguês maioritariamente detida por fundos geridos pelos americanos KKR.

O regulador liderado por Margarida Matos Rosa considera que a operação “não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva no mercado nacional ou numa parte substancial deste”, pelo que a operação não merece a oposição da AdC.

Relacionadas

Espanhola MásMovil compra Nowo e Oni

Quarta maior operador de telecomunicações em Espanha e GAEA compraram a Cabonitel, que detém 100% do capital da portuguesa Nowo, que por sua vez, detém o total de capital da Oni.
Recomendadas

Lucros da banca sobem 133% em 29 anos, já o crédito a clientes subiu 862%

Desde 1990, verificou-se um aumento de concentração do sistema bancário português. Ao longo do período para o qual existe informação comparável, Portugal apresenta um nível de concentração superior ao da área do euro, o que poderá ser explicado pelo facto dos países mais pequenos tenderem a ter níveis de concentração mais elevados, explica o BdP.

Moody’s atribui ‘rating’ B2 com ‘outlook’ estável à TAP e ao empréstimo obrigacionista

Depois da Standard & Poor’s, é a vez da Moody’s iniciar a análise de ‘rating’ da companhia aérea nacional.

Moody’s atribui à dívida da TAP quinto nível de “lixo”

A agência de notação financeira norte-americana atribuiu o ‘rating’ “B2” à emissão de obrigações anunciada ontem.
Comentários