Autoridade da Mobilidade e dos Transportes emitiu mais 13 pareceres positivos a sistemas de transporte

A entidade reguladora do setor dos transportes emitiu no final desta semana pareceres positivos aos sistemas de transporte público rodoviário de passageiros propostos para os municípios de Castro Daire, Albufeira e Lamego, assim como para a CIM – Comunidade Intermuncipal da Beira Baixa.

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) emitiu neste mês de maio um conjunto de 13 pareceres positivos às propostas de diversas autarquias e CIM – Comunidades Intermunicipais sobre os futuros sistemas de transporte público rodoviário de passageiros que vierem a ser alvo de concursos públicos, de acordo com a nova legislação existente no setor.

Na última quinta-feira, 28 de maio, a AMT anunciou que emitiu um parecer prévio vinculativo positivo quanto às
peças de procedimento de concurso público para a concessão de transporte de passageiros por modo rodoviário na CIM – Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa; para a contratação da exploração dos serviços inerentes às linhas de transporte público de passageiros no município de Castro Daire; para a prorrogação da prestação de serviços de transportes urbanos de Albufeira – Serviço Giro; e para as peças do procedimento de concurso público de prestação de serviços dos transportes urbanos de Lamego – Serviço Verdinho.

“Resulta de tais pareceres a confirmação da adequação dos seus termos ao enquadramento jurisprudencial e legal aplicável (…), que aprovou o Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros, sem prejuízo do cumprimento de diversas determinações, designadamente quanto à execução contratual, no que se refere a matéria operacional, económica e financeira, bem como ao apuramento e reporte circunstanciado, e periódico, de informação relevante”, destaca um comunicado do órgão regulador liderado por João Carvalho.

O mesmo documento acrescenta que “os procedimentos de Castro Daire, Albufeira e Lamego têm uma duração limitada, uma vez que os serviços em causa serão integrados nos futuros contratos resultantes de concursos públicos municipal e intermunicipal”.

“À semelhança de outros pareceres, a AMT irá acompanhar a execução contratual de forma a garantir que, a todo o tempo, se cumprem os normativos legais e contratuais aplicáveis.

Já no início do mês, a 8, a AMT havia anunciado ter emitido pareceres positivos quanto à contratação de serviços de transporte público de passageiros em Tomar; prorrogação do contrato de prestação de serviços de transporte coletivo urbano de passageiros no município de Faro; peças de procedimento de concurso público de prestação do serviço público de transporte rodoviário regular de passageiros no concelho de Barcelos; peças de procedimento do concurso público para a concessão do serviço público de transporte rodoviário de passageiros da CIM – Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa; contratação da exploração de transporte público de passageiros na CIM – Comunidade Intermunicipal de Terras de Trás-os-Montes, com seis operadores; peças de procedimento de concurso público para concessão do serviço público de transporte rodoviário de passageiros em Vila Real; peças de procedimento de concurso público para prestação do serviço público de transportes de passageiros no município de Cantanhede; peças de procedimento de concurso público para prestação do serviço público de transportes de passageiros no município da Guarda; e as peças de procedimento dos concursos públicos para prestação de três serviços públicos de transporte de passageiros por via navegável interior no município de Faro/Ria Formosa.

 

Ler mais
Recomendadas

PremiumISQ vai investir mais de um milhão de euros no fabrico aditivo (3D)

Pedro Matias, presidente da empresa, anuncia que vai ser criado um Laboratório de Manufatura Aditiva, que será único em Portugal.

Salas de cinema registam quebras na ordem dos 96% em julho

Segundo os dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual, as salas de cinema nacionais receberam no último mês cerca de 78 mil espectadores, o que traduz uma quebra de 95,6% comparativamente à audiência em 2019,

PremiumRisco de continuidade do negócio é o mais relevante para as empresas

Um estudo da MDS revela que a possibilidade de recuperação em ‘V’ é, do lado das empresas, uma miragem: um a três anos é o tempo mínimo esperado de regresso à atividade pré-pandemia.
Comentários