Avião da TAP com destino a Luanda obrigado a fazer escala no Congo

A companhia aérea nacional defende que o espaço aéreo angolano estava encerrada à hora que aquela ligação para Luanda estava a ser efetuada.

Foto Cedida/ A. Doumenjou

Um avião da TAP, que partiu este sábado de Lisboa com destino a Luanda, foi obrigado a fazer escala na República Democrática do Congo por causa do encerramento temporário do espaço aéreo angolano, revelou à Lusa fonte da empresa portuguesa.

Em causa esteve o voo TP287, com partida de Lisboa às 12h20 e chegada a Luanda prevista às 21h05 locais, tendo sido desviado para o aeroporto Pointe-Noire, na República Democrática do Congo, onde aterrou às 22h05 locais, segundo informação disponibilizada na página oficial da TAP.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da transportadora portuguesa referiu que foi necessário fazer uma escala no Congo devido ao “encerramento temporário do espaço aéreo angolano” e que, cerca das 23h30, já estaria em curso a viagem de ligação até Luanda.

Recomendadas

CGD com “insuficiências” na análise de risco na concessão de crédito

Entre 2008 e 2013, o volume de créditos em incumprimento na CGD aumentou exponencialmente, de 1,5 mil milhões para 5,2 mil milhões, com os rácios a passarem de 2,3% para 7,5% respetivamente, segundo a auditoria. As imparidades, por sua vez, passaram de 3,2 mil milhões para 5,3 mil milhões de euros.

Inquérito/Energia: Vieira da Silva delegou em Zorrinho mas subscreve decisões

Vieira da Silva disse ainda “não ter dúvidas” de que “estrategicamente, teria sido vantajoso permanência do Estado na REN”, e adianta que “várias das medidas que o governo teve de tomar foram decididas num quadro de emergência.

Intervenção do Estado nas decisões da CGD teve “influência adversa”

A EY identificou, sobretudo, três situações originadas pelas estratégias definidas por sucessivos governos.
Comentários