Balança externa com saldo positivo em agosto pela primeira vez este ano

Esta é a primeira vez este ano que o saldo global da balança corrente e de capital é positivo, mas fixa-se abaixo dos 2717 milhões de euros registados em igual período de 2018. 

Aly Song/Reuters

A balança externa recuperou até agosto, entrando em terreno positivo ao registar um saldo de 685 milhões de euros, segundo dados do Banco de Portugal (BdP), divulgados esta quinta-feira. Esta é a primeira vez este ano que o saldo global da balança corrente e de capital é positivo, mas fixa-se abaixo dos 2717 milhões de euros registados em igual período de 2018.

Para esta evolução, segundo o regulador, “contribuíram todas as componentes, à exceção da balança de rendimento primário”.

O défice da balança de bens aumentou 1789 milhões de euros em termos homólogos, enquanto o excedente da balança de serviços diminuiu 473 milhões de euros. “Nos primeiros oito meses do ano, as exportações de bens e serviços cresceram 2% (1,4% nos bens e 3,0% nos serviços) e as importações aumentaram 6% (4,9% nos bens e 10,9% nos serviços)”, realça o BdP.

Já o défice da balança de rendimento primário diminuiu 526 milhões de euros relativamente ao período homólogo, para -3000 milhões de euros. “Esta variação resultou, principalmente, da redução dos juros pagos a entidades não residentes”, explica.

O BdP salienta ainda que até agosto de 2019, o saldo da balança financeira registou um aumento dos ativos líquidos de Portugal face ao exterior de 1181 milhões de euros.

“É de destacar o aumento de ativos através do investimento do setor bancário residente em dívida pública emitida por países da União Monetária. No sentido oposto, verificou-se um aumento de passivos, com o investimento de não residentes em sociedades não financeiras residentes e em obrigações do tesouro emitidas por Portugal”, explica. “Contrariamente aos restantes bancos, o Banco de Portugal reduziu ativos externos com o desinvestimento em títulos de dívida”, conclui.

Ler mais

Recomendadas

Subida do salário mínimo? “É prematuro assumir qualquer valor como definitivo”, diz Governo

A resposta surge depois de ser noticiado um eventual aumento de 40 euros. “A definição anual da atualização do SMN segue os procedimentos habituais, sendo objeto de discussão em sede de concertação social e com as estruturas sindicais”, explicam os ministérios das Finanças, Trabalho e Administração Pública.

PremiumJoão César das Neves: “Temos de pôr dinheiro no bolso das pessoas”

O economista César das Neves diz que o Plano de Recuperação é o “do costume”, dedicado a construção e burocracia, que se irá traduzir num “crescimento medíocre”. Defende a extensão das moratórias e alerta para o desafio da solvabilidade das empresas.

OMS denuncia desigualdades nas vacinas. Países ricos receberam 81% das doses (com áudio)

Enquanto que os países mais ricos já receberam mais de 80% das vacinas, os países com menores rendimentos só acumularam 0,3% das doses.
Comentários