Banca portuguesa aumenta ativos financeiros internacionais em 5,7%

Cerca de 74% dos ativos estrangeiros da banca nacional encontram-se dentro da União Europeia.

O bancos portugueses detinham 85,5 mil milhões de euros em ativos financeiros no estrangeiro com “exposição imediata” no final do primeiro semestre de 2019, revelou o Banco de Portugal (BdP) esta quarta-feira, 9 de outubro. O valor corresponde a um aumento de “4,9 mil milhões de euros relativamente ao primeiro trimestre”, mais 5,7%. Cerca de 74% desses ativos encontravam-se dentro da União Europeia.

Segundo uma nota de informação estatística relativa ao segundo trimestre de 2019, o valor é “parcialmente  explicado por operações de aquisição de títulos de capital de entidades bancárias não residentes”.

“A exposição em última instância dos bancos portugueses era de 87 mil milhões de euros de ativos financeiros internacionais, o que representa um acréscimo de 4,8 mil milhões de euros relativamente ao primeiro trimestre de 2019”, reporta o BdP.

A diferença entre a exposição em última instância e a exposição imediata é de 1,5 mil milhões de euros, o que “corresponde a uma transferência de risco líquida de Portugal para o estrangeiro”.

O regulador da banca nacional explica, ainda, que como a exposição em última instância  dos ativos no estrangeiro é superior à exposição imediata, há ativos da banca nacional que são “garantidos por entidade não residentes”.

Recomendadas

Carlos Tavares: “Política monetária em vigor não tem qualquer efeito positivo na economia”

“Não gosto de ver esta situação de taxas baixas. É um desincentivo poderoso à poupança”, disse o presidente do Banco Empresas Montepio, acrescentando que, por outro lado, “pode incentivar mau investimento”.

Miguel Maya: “BCP já tem cinco mil operações por dia feitas por robôs”

“O BCP aprendeu com os erros do passado”, reconheceu o banqueiro. Miguel Maya disse que era preciso a tecnologia com a relação humana já que “a tecnologia é para servir a relação”, referiu.

N26 quer chegar aos 100 mil clientes em Portugal até ao final do ano

Em julho de 2019 o N26 chegou ao mercado norte-americano e os planos de expansão passam por entrar no mercado australiano, brasileiro e canadiano.
Comentários