Banca portuguesa aumenta ativos financeiros internacionais em 5,7%

Cerca de 74% dos ativos estrangeiros da banca nacional encontram-se dentro da União Europeia.

O bancos portugueses detinham 85,5 mil milhões de euros em ativos financeiros no estrangeiro com “exposição imediata” no final do primeiro semestre de 2019, revelou o Banco de Portugal (BdP) esta quarta-feira, 9 de outubro. O valor corresponde a um aumento de “4,9 mil milhões de euros relativamente ao primeiro trimestre”, mais 5,7%. Cerca de 74% desses ativos encontravam-se dentro da União Europeia.

Segundo uma nota de informação estatística relativa ao segundo trimestre de 2019, o valor é “parcialmente  explicado por operações de aquisição de títulos de capital de entidades bancárias não residentes”.

“A exposição em última instância dos bancos portugueses era de 87 mil milhões de euros de ativos financeiros internacionais, o que representa um acréscimo de 4,8 mil milhões de euros relativamente ao primeiro trimestre de 2019”, reporta o BdP.

A diferença entre a exposição em última instância e a exposição imediata é de 1,5 mil milhões de euros, o que “corresponde a uma transferência de risco líquida de Portugal para o estrangeiro”.

O regulador da banca nacional explica, ainda, que como a exposição em última instância  dos ativos no estrangeiro é superior à exposição imediata, há ativos da banca nacional que são “garantidos por entidade não residentes”.

Recomendadas

BES: MP e BdP pedem manutenção de coima a Salgado no processo da compra de ações da ESFG

O Ministério Público e o Banco de Portugal pediram esta segunda-feira ao Tribunal da Concorrência que mantenha a coima de 75.000 euros aplicada ao ex-presidente do BES no processo da compra de ações da ESFG pelo Grupo Alves Ribeiro.

Cosec com aumento de 80% nos Seguros Caução durante o primeiro trimestre

De acordo com o regulador, e considerando a produção em Seguro Caução, a quota de mercado da Cosec é agora de 54,3%, em comparação com os 22,3% registados no primeiro trimestre de 2019, o que significa um acréscimo de 32 pontos percentuais.

Adeus PIN. Limite de 50 euros nos pagamentos sem contacto passa a ser permanente

Depois do limite ter aumento de 20 para 50 euros no final de março devido à pandemia da Covid-19, foi hoje anunciado que este limite veio para ficar. Pagamentos sem contacto aumentaram 20% nos últimos meses.
Comentários