Banco BNI Europa associa-se à Raisin e capta depósitos de PME’s alemãs

O BNI Europa faz parte do grupo de três bancos (os outros são o Younited Credit da França e o Greensill Bank da Alemanha) que se associam à Raisin, plataforma online pan-europeia para produtos de poupança. Com este acordo as empresas alemãs conseguem escapar aos juros negativos na Alemanha, aplicando os seus excedentes de tesouraria em depósitos nestes três bancos europeus.

“As PME’s alemãs já podem constituir depósitos a prazo no Banco BNI Europa, através da plataforma Raisin, disponibilizada agora para clientes empresariais”, anuncia em comunicado o BNI Europa.

O Banco BNI Europa associou-se à Raisin na oferta de depósito a prazo a PME’s alemãs. Através da plataforma online as PME’s alemãs passam a poder fazer depósitos a prazo em toda a Europa, podendo escolher aqueles que dão mais rentabilidade aos seus excedentes de tesouraria.

A Raisin é o principal mercado online pan-europeu para produtos de poupança. Esta plataforma pretende dar resposta a um problema que os clientes bancários enfrentam na Alemanha: taxas de juro negativas.

Segundo o BNI Europa, a Alemanha foi o país escolhido pela Raisin para iniciar a disponibilização deste serviço a PME’s, onde as baixas taxas de juro têm afetado o mercado: em média, às PME’s têm sido oferecidas taxas negativas de 0,14% quando pretendem investir num depósito a um ano.

O CEO e co-fundador da Raisin, Tamaz Georgadze, garante em comunicado que “A partir de agora, as PME’s alemãs podem aproveitar até 0,7% simplesmente ao registarem-se na nossa plataforma online”. Três bancos europeus, nomeadamente o Banco BNI Europa de Portugal, o Younited Credit da França e o Greensill Bank da Alemanha são os primeiros bancos parceiros da Raisin na oferta de depósitos a prazo, a juros positivos, a clientes empresariais. À medida que outros bancos se juntem à oferta, até o final de 2017, as empresas terão uma escolha mais alargada para investir o seu capital.

Pedro Pinto Coelho, CEO do Banco BNI Europa referiu”Estamos muito satisfeitos em apoiar a Raisin para explorar o que pode ser um segmento muito interessante e fornecer às PME’s alemãs essa ótima alternativa para gerir a sua liquidez”.

“Sem o recurso a esta plataforma, os investidores interessados, necessitam não só de pesquisar o país, o Banco e o produto, mas também cumprir os diferentes procedimentos de abertura de conta em línguas estrangeiras”, diz a nota.
O comunicado diz que com base na sua experiência com clientes particulares, “a incursão da Raisin em investimentos de depósitos corporativos é bem sustentada. Desde a sua fundação em 2013, mais de 90 mil clientes investiram já mais de 4 mil milhões de euros com a plataforma”.

O líder de mercado de depósitos pan-europeu oferece acesso a produtos de poupança para clientes de toda a Europa na sua plataforma online e opera plataformas dedicadas na Alemanha, França, Espanha e Áustria.

“O Banco BNI Europa é hoje o banco digital em Portugal com maior taxa de crescimento, tendo como missão oferecer aos seus clientes uma plataforma digital moderna e de baixo custo”, diz a nota de imprensa.

O Banco BNI Europa tem como objetivo desafiar o ecossistema bancário tradicional colaborando com fintech’s para lançar novos produtos permitindo utilizar a tecnologia mais avançada em termos de análise de risco, experiência do consumidor e entrada rápida no mercado. #Esta orientação estratégica permite que o Banco se afirme como um ‘Challenger Bank’, assente na lógica de arquitetura aberta e na diferenciação”.

“Este posicionamento permite ainda ao Banco BNI Europa destacar-se como uma referência na nova geração ‘Fintech’ de Bancos Europeus”, conclui o banco.

A Raisin estava inicialmente disponível apenas para particulares, em 15 de setembro a plataforma foi alargada a clientes empresas.

Recomendadas

Banco italiano Intesa Sanpaolo sobe lucros para 3.023 milhões no primeiro semestre

As receitas ascenderam a 10.674 milhões de euros, mais 1,7% em comparação com os 10.494 milhões de euros obtidos no primeiro semestre de 2020, e os custos foram de 5.255 milhões de euros, menos 2,7%

Banco Angolano de Investimentos aliena participações sociais na Griner e Novinvest por 13 milhões

Estas operações inserem-se na estratégia de separação de atividade financeiras e não financeiras do grupo BAI, permitindo, simultaneamente, a criação e desenvolvimento de grupos não financeiros angolanos que contribuam para o crescimento do país.

Commerzbank agrava prejuízos para 394 milhões de euros no primeiro semestre

O Commerzbank, segundo maior banco comercial privado da Alemanha, informou que as receitas totais melhoraram no primeiro semestre para 4.353 milhões de euros (+5,5%).
Comentários