Banco central da China corta nas taxas de juro e anima Wall Street

No início da sessão desta sexta-feira, o S&P 500 cresce 0,30%, para 3.015,60 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,47%, para 8.215,67 pontos e o industrial Dow Jones sobe 0,25%, para 27.214,03 pontos.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta sexta-feira animada pelos cortes nas taxas de juro feitas pelo banco central da China, ao mesmo tempo que surgem sinais de cooperação nas trocas comerciais entre as duas maiores economias do mundo dissiparam as preocupações sobre uma desaceleração do crescimento global.

No início da sessão desta sexta-feira, o S&P 500 cresce 0,30%, para 3.015,60 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,47%, para 8.215,67 pontos e o industrial Dow Jones sobe 0,25%, para 27.214,03 pontos.

Este é o segundo corte consecutivo nas taxas de juro feito pelo banco central da China, dias depois da Reserva Federal e o Banco Central Europeu (BCE) reduzirem os custos de empréstimos e deixarem a porta aberta para mais estímulos financeiros.

As negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China continuam esta sexta-feira, com os delegados chineses a visitarem as regiões agrícolas americanas na próxima semana.

Recomendadas

Wall Street em alta à boleia do PIB chinês

Para além do PIB chinês, os investidores centraram a sua atenção nos dados económicos americanos.

Moody’s mantém ‘rating’ de Portugal inalterado

Agência norte-americana não se pronunciou sobre a notação da dívida soberana portuguesa, que se mantém em ‘Baa3’ e perspetiva ‘positiva’. Tal como na primeira avaliação do ano passado, a Moody’s atualizou apenas o calendário indicativo da próxima avaliação, marcada para 17 de julho.

EDP valoriza PSI 20 no fecho da sessão e em sintonia com as praças europeias

Praça lisboeta fechou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,16% para 5.315,53 pontos, seguindo a tendências das suas congéneres europeias.
Comentários