Banco de Portugal: Elisa Ferreira é a provável sucessora de Carlos Costa, aponta Marques Mendes

Elisa Ferreira prepara-se para suceder a Carlos Costa na liderança do Banco de Portugal quando o mandato do atual governador terminar, prevê o comentador Luís Marques Mendes. Quanto a Mário Centeno, o futuro pode ditar apenas meio mandato como ministro das Finanças do próximo Governo.

Elisa Ferreira, vice-governadora do Banco de Portugal, deverá suceder como responsável máxima desta instituição sucedendo assim a Carlos Costa, de acordo com a previsão Luís Marques Mendes, no habitual comentário de domingo no ‘Jornal da Noite’ da SIC.

A conclusão foi retirada pelo comentador a partir de uma conjectura relativamente ao futuro de Mário Centeno. “Neste momento, Mário Centeno está mais para ficar do que para sair. Vai ser candidato a deputado e a manter-se como ministro das Finanças. A meio do mandato, Centeno pode sair para a OCDE ou Banco Mundial. Não irá para o Banco de Portugal”, garante Luís Marques Mendes.

Nesse sentido, e no entender de Marques Mendes, a porta está aberta para que Elisa Ferreira, de 63 anos, vice-governadora do Banco de Portugal desde setembro de 2017, ao suceda a Carlos Costa no final do mandato do atual governador, ou seja, em maio de 2020.

Recomendadas

BCP emite 450 milhões de dívida subordinada e paga 3,871%

A emissão, no montante de 450 milhões de euros, terá um prazo de 10,5 anos, com opção de reembolso antecipado pelo Millennium BCP no final de 5,5 anos, e uma taxa de juro de 3,871%, ao ano, durante os primeiros 5,5 anos.

Montepio com quebra de 77,2% nos resultados semestrais para 3,6 milhões

A justificar a queda dos resultados está a margem financeira que deslizou 11% para 120 milhões de euros. Já as comissões mantiveram-se em 57 milhões de euros. Com isto o produto bancário fixou-se em 182,2 milhões, menos 9% do que em junho de 2018.

PremiumBanco de Portugal exige fim do impasse na escolha do CEO do Montepio

Regulador enviou carta à Associação Mutualista Montepio Geral e ao Banco Montepio a pedir que fossem encontradas soluções de estabilidade governativa do banco, entre as quais, a questão da CEO do banco.
Comentários