Banco do Brasil inicia processo para eleger André Brandão para presidente

André Brandão vai substituir Rubem Novaes, que pediu demissão no final de julho por considerar que o banco estatal precisava de “uma reforma” para enfrentar “os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”.

O Banco do Brasil anunciou esta sexta-feira ter iniciado o processo para eleger André Brandão como novo presidente da instituição, na sequência da indicação do Ministério da Economia do país.

“O Banco do Brasil (BB) comunica que, após comunicação formal, via Ofício do Ministério da Economia, iniciou-se no âmbito do BB os procedimentos de governança necessários à confirmação da elegibilidade de André Guilherme Brandão para assumir o cargo de presidente da Companhia”, indicou, em comunicado.

André Brandão vai substituir Rubem Novaes, que pediu demissão no final de julho por considerar que o banco estatal precisava de “uma reforma” para enfrentar “os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”.

Na semana passada, o ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, afirmou que a indicação de Brandão para a função partiu do presidente do banco central, Roberto Campos. O ministro afirmou “não conhecer” Brandão pessoalmente, e sublinhou confiar na recomendação.

Brandão, que tem mais de 20 anos de atuação no mercado financeiro, trabalhava no banco HSBC como chefe global da instituição para as Américas. Antes de chegar ao HSBC, trabalhou mais de dez anos no Citibank.

O Banco do Brasil é uma das instituições mais estratégicas do país e é controlado pelo Estado brasileiro, embora tenha ações cotadas na Bolsa de Valores de São Paulo. A entidade possui escritórios em quase todos os municípios do país sul-americano e conta com um quadro de funcionários de cerca de 100 mil trabalhadores.

Ler mais
Recomendadas

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em créditos problemáticos até fim do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, segundo disse o presidente executivo, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg.

Comissão Europeia avança com plano de ação para mercado de capitais único

A Comissão Europeia pretende assim dotar as instituições financeiras de capacidade de apoio aos tecidos empresariais nacionais e à população em geral, ao promover um mercado de maior dimensão e integrando todos os estados-membros.

Prolongado regime especial para pagamento de seguros

Este regime, que permite alterações aos pagamentos mas também o alargamento de seguros obrigatórios, foi alargado pelo Governo, tal como foi estendido o prazo das moratórias, até 30 de setembro de 2021.
Comentários