Bancos centrais devem agir com “prudência, flexibilidade e firmeza”, diz Mário Centeno

“Numa fase de recuperação, mas com incerteza, a atuação e comunicação dos bancos centrais deve pautar-se pela prudência, flexibilidade e firmeza”, disse o governador do Banco de Portugal na intervenção inicial no XXXI Encontro de Lisboa entre os Bancos Centrais dos PALOP.

Cristina Bernardo

O governador do Banco de Portugal considerou esta terça-feira que os bancos centrais devem atuar com “prudência, flexibilidade e firmeza” para ultrapassar a pandemia e destacou a importância da adaptação às alterações climáticas nos PALOP.

“Numa fase de recuperação, mas com incerteza, a atuação e comunicação dos bancos centrais deve pautar-se pela prudência, flexibilidade e firmeza”, disse Mário Centeno durante a intervenção inicial no XXXI Encontro de Lisboa entre os Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa, que decorre em formato virtual a partir de Lisboa.

“Salvaguardada a estabilidade dos preços, a política monetária deverá continuar a apoiar a recuperação e a estabilidade financeira a médio prazo”, acrescentou o banqueiro central, vincando que “a evolução dos custos de financiamento e a gestão dos riscos de refinanciamento será determinante na retoma das trajetórias de crescimento”.

Para Mário Centeno, as alterações climáticas são particularmente notórias nos países lusófonos, razão pela qual deve ser dada especial atenção a esta “ameaça existencial, nas palavras do secretário-geral das Nações Unidas”.

Há uma “urgência de atuar”, defendeu, lembrando os “eventos climáticos mais frequentes, extremos e prolongados” que se vivem nos países da lusofonia.

Nas vésperas da reunião da COP 26, Mário Centeno disse ainda que espera novas ações e medidas nessa reunião: “Aguardam-se aí passos significativos para a neutralidade climática, mas também para o mercado global de emissões de carbono ou a canalização para países em desenvolvimento de recursos financeiros para apoiar a sua transição climática”, disse Mário Centeno, concluindo que desse encontro “deverá também sair reforçado o papel do sistema financeiro”.

Recomendadas

Angola anuncia realização de 17,2 milhões de euros em leilão de diamantes

As sessões de avaliação decorreram entre os dias 15 e 29 de novembro e as propostas aos “diamantes especiais de Catoca e Lulo”, feitas através de uma plataforma eletrónica ‘online’ criada para o efeito, foram apresentadas hoje.

Covid-19: Guiné-Bissau quer que UE aceite o seu certificado digital de vacinação

Os certificados digitais de vacinação da Guiné-Bissau são emitidos presencialmente para evitar falsificações e cumprem as regras da Organização Mundial de Saúde (OMS), incluem um código QR e estão em três línguas internacionais – português, inglês e francês.

Covid-19: África do Sul sente-se “castigada” por ter detetado variante Omicron

“Esta última vaga de proibições de viagens equivale a punir a África do Sul por ter sequenciado o genoma e pela capacidade de detetar novas variantes mais rapidamente. A excelência científica deve ser aplaudida, não punida”, disse o Governo sul-africano num comunicado, dois dias depois de ter anunciado a descoberta.
Comentários