Bancos espanhóis perdem em bolsa mais de 42 mil milhões de euros em apenas um ano

Perda acumulada de 23,5% do valor em bolsa dos bancos espanhóis no índice Ibex 35. Capitalização do Sabadell, Bankia e CaixaBank caiu acima da média do setor bancário.

Os principais bancos espanhóis – Santander, BBVA, CaixaBank, Bankia, Sabadell e Bankinter – estão a ter um mau desempenho no mercado de ações e, nos últimos 12 meses, a sua capitalização reduziu-se em mais de 42 mil milhões de euros. De acordo com o jornal “El Economista”, essas perdas foram acentuadas “pelo atraso na ansiada subida das taxas de juro por parte do Banco Central Europeu (BCE)”.

Regista-se uma perda acumulada de 23,5% do valor em bolsa dos referidos bancos espanhóis no índice Ibex 35. No final do primeiro trimestre de 2018, o valor em bolsa desses bancos em conjunto era de cerca de 180 mil milhões de euros. Ontem, dia 22 de março de 2019, esse valor tinha caído para cerca de 137 mil milhões de euros.

Entre os bancos cotados no principal índice bolsista, “os mais expostos a Espanha e com uma carteira hipotecária ligada à taxa de juro Euribor” são o Sabadell, Bankia e Caixa Bank, destaca o mesmo jornal. E foram esses bancos que tiveram uma maior queda de valor da sua capitalização bolsista, acima da média do conjunto do setor bancário.

Recomendadas

Proposta sindical de aumentos salariais para a banca em 2019 nos 2,72%

No dia 16 de abril, o SNQTB, o SBN e o SIB enviaram a sua proposta negocial aos bancos que integram a mesa negocial da Associação Portuguesa de Bancos (APB).

CPI à Caixa: Lista de 12 a 15 novas audições é fechada hoje. Santos Ferreira e Faria de Oliveira já agendados

Nova fase de audições dá prioridade a antigos presidente da Caixa. Santos Ferreira, Faria de Oliveira e António de Sousa são as próximas personalidades a ser ouvidas, numa lista de novas audições que ficará hoje fechada e que contará com 12 a 15 personalidades entre político, clientes e antigos administradores. Ao nível de documentos, Parlamento insiste junto do Banco de Portugal  com relatório secreto sobre atuação do governador no caso BES.

Lesados do BES e Banif têm 30 dias para reclamar e poder vir a integrar solução

O trabalho dessas comissões nos próximos meses (150 dias corridos no caso do Banif e 120 dias no caso do BES) é avaliar se esses clientes (que têm de ser investidores não qualificados ou não profissionais) foram vítimas de práticas ilícitas na comercialização de instrumentos de dívida (obrigações, papel comercial, ações preferenciais).
Comentários