Barclays passa de lucros a prejuízos e admite mais cortes de custos

Ainda segundo os resultados hoje conhecidos as receitas caíram 2% para 5,25 mil milhões de euros de libras (6,1 mil milhões de euros à taxa de câmbio atual), o que levou o banco a admitir que terá de reforçar o cortar custos se a queda de receitas persistirem no resto do ano.

Toby Melville/Reuters

O banco britânico Barclays teve lucros de 1,4 mil milhões de libras (cerca de 1,6 mil milhões de euros) no primeiro trimestre, o que compara com os prejuízos de 764 milhões de libras no mesmo trimestre do ano anterior, segundo anunciou hoje.

Ainda segundo os resultados hoje conhecidos as receitas caíram 2% para 5,25 mil milhões de euros de libras (6,1 mil milhões de euros à taxa de câmbio atual), o que levou o banco a admitir que terá de reforçar o cortar custos se a queda de receitas persistirem no resto do ano.

O Barclays decidiu já cortar os prémios que habitualmente atribui no banco de investimento e corporativo para refletir o mau desempenho daquela unidade de negócio.

Recomendadas

Adeus, caderneta bancária. Levantamentos de dinheiro acabam este sábado

Esta medida é uma consequência direta da entrada em vigor das novas regras europeias, que exigem mais segurança nas operações bancárias. Clientes do Montepio Geral, Caixa Geral de Depósitos e Crédito Agrícola vão ter de passar a usar somente o cartão de débito para levantar dinheiro.

Sindicatos bancários aplaudem “papel responsável” da DGERT e dizem que negociação para 2019 com o BCP “não está fechada”

Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários, Sindicato dos Bancários do Norte e Sindicato Independente da Banca asseguram que não voltarão “a baixar os braços” porque pediram 2,38% de atualização de tabelas e cláusulas pecuniárias e o banco retorquiu com 0,6%.

João Moreira Rato e Luís Pereira Coutinho eleitos em AG para liderar Banco CTT até 2021

Na sequência da notícia divulgada pelo Jornal Económico de aprovação do Banco de Portugal, os CTT realizaram ontem a assembleia-geral do banco e elegeram os órgãos sociais para o triénio 2019-2021. Na comissão executiva fica Luís Pereira Coutinho como presidente, sendo os vogais João de Mello Franco, Pedro Coimbra e Nuno Fórneas.
Comentários