BCP e Altri continuam a manter PSI 20 no ‘vermelho’

Praça lisboeta está agora a cair 0,57%, para 4.064,71 pontos nesta terça-feira, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

O principal índice bolsista português, PSI 20, encontra-se a meio da sessão desta terça-feira a desvalorizar 0,57%, para 4.064,71 pontos, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

A fazer descer o PSI 20 estão entre as principais cotadas portuguesas o BCP que cai 1,33%, para 0,08 euros, a Altri que deprecia 2,31%, para 3,72 euros e a petrolífera Galp que desvaloriza 2,04%, para 7,95 euros.

Com sinal ‘vermelho’ estão também os CTT que descem 0,80%, para 2,48 euros, a construtora Mota-Engil que desvaloriza 1,48%, para 1,06 euros, a EDP Renováveis que cai 0,43%, para 13,76 euros e a Navigator que desce 1,03%, para 2,12 euros.

A negociar com sinal ‘verde’ estão a meio da sessão a Jerónimos Martins que cresce 0,93%, para 14,08 euros, a NovaBase que sobe 0,60%, para 3,37 euros e a NOS que valoriza 0,13%, para 3,05 euros.

Na Europa, os principais mercados de ações negoceiam no ‘vermelho’, após uma sessão de fortes ganhos. “No radar dos investidores continuam os possíveis planos de estímulo económico, tanto na Europa como nos EUA, onde na próxima madrugada (hora de Lisboa) se vai assistir ao debate entre Joe Biden e Donald Trump na corrida à presidência norte-americana”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro.

Apenas Itália, negoceia a meio da sessão no ‘verde’. Na Alemanha, o DAX desce 0,33%, no Reino Unido, o FTSE 100 cai 0,38%, o francês CAC 40 desvaloriza 0,07%, o holandês AEX desce 0,07%. Em Espanha, o IBEX35 desvaloriza 0,02% e o italiano FTSE MIB cresce 0,32%.

A cotação do barril de Brent desvaloriza 0,47%, com valor de 42,67 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desce 0,52%, para 40,39 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valoriza 0,21%, para 1,16 dólares.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 penalizado pelos prejuízos da Galp no arranque da sessão

O PSI 20 acompanha também a tendência das principais congéneres europeias, numa altura em que o número de infetados com o novo coronavírus continua a aumentar na Europa.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.

Preço do petróleo mantém-se baixo para além de 2021, considera Banco Mundial

“Os preços do petróleo devem aumentar muito gradualmente face aos níveis atuais e chegar a uma média de 44 dólares em 2021, subindo face aos estimados 41 dólares por barril este ano, num contexto de uma recuperação lenta da procura e um abrandamento nas restrições à oferta”, lê-se no relatório sobre a evolução das matérias-primas.
Comentários