BCP ficou com 18% na Inapa que quer vender no mercado

O BCP ficou diretamente (sem contar com a participação do Fundo de Pensões) com 17,99% da Inapa que quer vender no mercado paulatinamente, para não perturbar a bolsa.

Miguel A. Lopes/Lusa

Neste momento a Inapa já só tem um único tipo de ações, as ordinárias. Deixou de ter ações preferenciais desde segunda-feira dia 21 de outubro, data em que se efetivou a conversão de ações preferenciais em ordinárias.

No âmbito dessa conversão o Grupo BCP que tinha 40,39% de ações preferenciais (com 29,77% dos votos) e 8,47% de ações ordinárias, passou a deter 28,88% de ações ordinárias com voto.

Aqui há que distinguir as ações do BCP, que representam atualmente, 17,99% do capital da Inapa, e as ações detidas pelo Fundo de Pensões do BCP, que totalizam 10,88% do capital.

Antes da conversão o BCP só tinha ações preferenciais (25,17% com 16,8% dos votos), o resto (15,22%) estava no Fundo de Pensões.

Segundo sabe o Jornal Económico, o objetivo do BCP é vender as ações no mercado, paulatinamente, para não perturbar as cotações da papeleira liderada por Diogo Rezende.

(atualizada)

Ler mais
Recomendadas

Lucros da banca sobem 133% em 29 anos, já o crédito a clientes subiu 862%

Desde 1990, verificou-se um aumento de concentração do sistema bancário português. Ao longo do período para o qual existe informação comparável, Portugal apresenta um nível de concentração superior ao da área do euro, o que poderá ser explicado pelo facto dos países mais pequenos tenderem a ter níveis de concentração mais elevados, explica o BdP.

Mais de duas mil caixas multibanco desapareceram em 10 anos

Em sentido contrário à queda das caixas multibanco, tem aumentado o número de terminais de pagamento automático, que eram 322.336 em 2018, mais 40 mil do que em 2010.

CGD abre DaBox a todas a contas bancárias fora da Caixa

A DaBox foi lançada há um mês e meio, e é anunciada como a app pioneira no open banking em Portugal, contando com mais de 20 mil downloads.
Comentários