BCP substitui “Investor Relations”. Rui Coimbra assume “Private Banking”

Rui Coimbra passa a liderar o private banking que é uma área do administrador João Nuno Palma.

O Banco Comercial Português informa na sexta-feira o mercado que a função de representante para as relações com o mercado
e com a CMVM passará, a partir do próximo dia 15 de abril, a ser desempenhada por Bernardo Roquette de Aragão de Portugal Collaço, que assumirá, também a partir dessa data, a responsabilidade pela DRI – Direção de Relações com os Investidores.

Esta função é atualmente desempenhada por Rui Coimbra.

O banco, questionado pelo Jornal Económico, revelou que emblemático investor relations do BCP, deixa a função para ir liderar o private banking do banco. Esta área é tutelada pelo administrador  João Nuno Palma e a área de private banking inclui a banca de empresas, com a área de corporate de empresas e grandes empresas.

João Nuno Palma é também o administrador  com a responsabilidade a sucursal de Macau; fica com a presidência do Millennium bcp Bank & Trust (nas ilhas Cayman); e com a presidência do Banque Privée Suíça.

O novo investor relations, Bernardo Collaço, vem da Direção de Marketing, do Departamento de  Poupanças e Investimento do Millennium bcp.

Miguel Maya anunciou ainda que quer multiplicar por três a quota de clientes affluent (de alto rendimento) com aconselhamento remoto e quer 51 mil novos clientes affluent, mas isso são os chamados “clientes prestige” que estão fora do private banking.

Ler mais
Recomendadas

BES: Depoimento de Carlos Costa no recurso da KPMG a coimas do BdP foi adiado

O Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão acabou por ouvir apenas o perito Pedro Pereira, técnico superior do BdP, num depoimento que prosseguirá na próxima quinta-feira.

Deutsche Bank quer fechar 100 balcões nos próximos anos na Alemanha

O Deutsche Bank possui atualmente cerca de 500 agências bancárias próprias, além das 800 da sua subsidiária Postbank, e, no final da reestruturação, pretende ter cerca de 400 balcões, sem adiantar quantos trabalhadores serão abrangidos por este processo.

António Horta-Osório alerta para a importância de manter a saúde mental

Num testemunho pessoal, o ainda presidente do Lloyds contou como a sua experiência permitiu a criação de programas de desenvolvimento pessoal e bem-estar mental para executivos e colaboradores do banco britânico.
Comentários