Berardo abre novo museu com ajuda de fundos europeus

O projeto é financiado pelo FEDER com uma verba de 2,587 milhões de euros e é uma parceria com a Câmara Municipal de Estremoz

O Museu Berardo Estremoz, dedicado ao azulejo, será inaugurado no dia 25 de julho e teve um cofinanciamento europeu de 75%, que corresponde a 2,587 milhões de euros, sendo os restantes 25% suportados por recursos da Associação de Coleções. A verba europeia é concedida a fundo perdido.

De acordo com a notícia avançada pelo “Expresso”, este sábado, trata-se de uma parceria com a Câmara Municipal de Estremoz assinada em julho de 2016 e que assenta num protocolo de cedência do espaço e das peças à autarquia. Esta compromete-se a gerir o museu, cujo proprietário é a Associação de Coleções, uma entidade criada pelo empresário madeirense em 2005.

O protocolo que se inicia agora é vigente por cinco anos e renovável. O projeto de reabilitação do Palácio dos Henriques — um edifício pré-pombalino também conhecido por Palácio Tocha, situado no centro nobre de Estremoz — e de criação do museu foi aprovado pelo Programa Operacional Regional do Alentejo em janeiro de 2017, com data de término a 30 de junho de 2020.

 

Recomendadas

“48 horas para rescindirem funções e abandonar o país”. O que já sabe sabe sobre a ameaça da extrema-direita a deputadas e ativistas?

Depois da “parada Ku Klux Klan” à porta do SOS Racismo, as deputadas Beatriz Gomes Dias, Mariana Mortágua e Joacine Katar Moreira estavam entre as destinatárias da ameaça enviada esta terça-feira por um grupo de extrema-direita radical. PJ já está a investigar o caso.

Portugal regista mais 325 casos e seis mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

A região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 204 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 39.177.

“Festa do Avante? Tem que haver cumprimento das regras vigentes”, garante Governo

“Decisão é da exclusiva responsabilidade da organização mas tem que haver cumprimento das regras vigentes sem qualquer exceção: por exemplo, espaços de alimentação e de atividades culturais têm que cumprir as mesmas regras dos outros espaços a nível nacional”, garantiu Mariana Vieira da Silva.
Comentários