PremiumBernardo Meyrelles: “Portugal deve ser firme na defesa dos Vistos Gold”

‘Private bank’ suiço quer atrair clientes detentores de Vistos Gold. Responsável diz que medida ajuda a cortar dependência de Bruxelas.

Bernardo Meyrelles, Country Head do EFG International em Portugal, realçou ao Jornal Económico a importância dos países da União Europeia (UE) manterem a capacidade de garantir a rentabilidade e solvibilidade. A apreciação enquadra-se no facto da mais recente entidade de ‘private banking’ do país (arrancou operações em setembro) também ter como clientes-alvo detentores de vistos Gold. Apesar da ‘diabolização’ que surge muitas vezes associada a esta medida, Bernardo Meyrelles sublinha que “Portugal deve ser firme a defender os seus interesses” e que “é melhor que países encontrem formas naturais de aumentar a sua rentabilidade e solvibilidade do que estarem apenas dependentes de subsídios e de transferências de fundos e de políticas centrais europeias de compensação”.

No entender do antigo responsável máximo do Deutsche Bank em Portugal, “seria muito bom que todos os países encontrassem uma forma de reduzir a subsídio dependência” e é importante que num contexto europeu não se limite a capacidade dos países em angariar receitas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

BES: MP e BdP pedem manutenção de coima a Salgado no processo da compra de ações da ESFG

O Ministério Público e o Banco de Portugal pediram esta segunda-feira ao Tribunal da Concorrência que mantenha a coima de 75.000 euros aplicada ao ex-presidente do BES no processo da compra de ações da ESFG pelo Grupo Alves Ribeiro.

Cosec com aumento de 80% nos Seguros Caução durante o primeiro trimestre

De acordo com o regulador, e considerando a produção em Seguro Caução, a quota de mercado da Cosec é agora de 54,3%, em comparação com os 22,3% registados no primeiro trimestre de 2019, o que significa um acréscimo de 32 pontos percentuais.

Adeus PIN. Limite de 50 euros nos pagamentos sem contacto passa a ser permanente

Depois do limite ter aumento de 20 para 50 euros no final de março devido à pandemia da Covid-19, foi hoje anunciado que este limite veio para ficar. Pagamentos sem contacto aumentaram 20% nos últimos meses.
Comentários