PremiumBiden vale-se de Aukus para emendar a mão após desastre de Cabul

Aliança entre Estados Unidos, Reino Unido e Austrália é o tema internacional que o presidente norte-americano encontrou para fazer esquecer as críticas por causa da saída do Afeganistão. Mas não é certo que a frente militar criada para tentar travar a China seja um caminho seguro.

Depois do desastre que constituiu a retirada norte-americana do Afeganistão – ao final de duas décadas só conseguiu mudar a geração dos mesmos talibãs que em 2001 se encontravam no poder – e da humilhação que foi a precipitação com que as suas forças foram dali escorraçadas, o presidente dos Estados Unidos só tinha uma saída: encontrar um tema que fosse capaz de gerar consenso nacional. Mas principalmente pacificação: depois de 31 de agosto, dia em que o último avião norte-americano descolou do aeroporto de Cabul, a política caseira de Biden não lhe trazia mais que fortes dores de cabeça: os republicanos não deram tréguas em relação à saída do Afeganistão – nem ao facto de precioso material de guerra ter sido deixado à mercê de tão perigosas mãos alheias – e alinharam na observação de que a atuação não podia ter sido mais desastrosa, limpando assim o nome do seu antecessor, Donald Trump.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMara estreia-se na música com o single ‘Severa’

A artista está a compor um álbum, focado na sua experiência de vida, que espera ter pronto até ao final deste ano e poder lançá-lo no início de 2022. O seu desejo é poder fazer o seu primeiro concerto no verão do próximo ano.

PremiumDavid Card: o Nobel da Economia com preocupações sociais

David Card estava em casa quando lhe ligaram a dizer que tinha ganho o Prémio Nobel. Vestindo um casual roupão, foi fotografado pela sua mulher, Cynthia Gessele, enquanto era entrevistado ao telefone pelo site oficial dos galardões suecos, o www.nobelprize.org.

PremiumCastelhana Real Estate diz que vai “continuar a ter projetos para clientes ‘golden visa'”

Patrícia Clímaco, CEO da mediadora imobiliária, afirma ao Jornal Económico que acredita que o fim deste regime não vai condicionar o mercado no Porto, mas que poderão haver “repercussões” no segmento prime em Lisboa.
Comentários