Black Friday não impulsiona abertura de Wall Street

O frenesim do consumo já começou nos Estados Unidos, no dia de Ação de Graças. Os norte-americanos gastaram valores recorde, quatro mil milhões de dólares no total. E, segundo os dados da Adobe, as vendas online subiram 19% face ao ano passado.

A trader wears glasses that say “2017” ahead of the new year on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in Manhattan, New York City, U.S., December 30, 2016. REUTERS/Stephen Yang

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a desta sexta-feira em queda, atrás dos máximos registados na quarta-feira. Devido ao dia de Ação de Graças, as bolsas norte-americanas estiveram encerradas na quinta-feira, sendo retomados hoje numa sessão que encerrará às seis tarde, em Portugal.

Poucos minutos após a abertura da sessão, o S&P 500 perdia 0,22%, para 3.146,70 pontos; o tecnológico Nasdaq caía 0,26%, para 8.682,51 pontos; e o industrial Dow Jones cedia 0,28%, para 28.084,34 pontos,

Em dia de Black Friday, há um produto que está a concentrar as atenções dos investidores: os AirPods da Apple, que poderão ser um catalisador para as ações da tecnológica norte-americana. Certo é que os títulos da Apple tiveram um início de sessão tímido, perdendo 0,46%.

O frenesim do consumo já começou nos Estados Unidos, no dia de Ação de Graças. Os norte-americanos gastaram valores recorde, quatro mil milhões de dólares no total. E, segundo os dados da Adobe, as vendas online subiram 19% face ao ano passado.

No setor do retalho e comércio eletrónico, a Amazon ganha 0,14%, a Target sobe 0,10% e a Walmart avança 0,74%.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está em queda. Em Londres, o barril de Brent perde 1,44%, para 62,95 dólares. Nos EUA, o West Texas Intermediate cai 2,22%, para 56,82 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Huawei vai processar regulador das comunicações dos Estados Unidos

Empresa chinesa foi impedida pelo regulador das comunicações dos EUA por ter sido excluída de ter acesso a um fundo de 8,5 mil milhões de dólares.

PSI-20, pressionado por BCP, Pharol e Navigator, acompanha Europa em queda

Em Lisboa, dez empresas cotadas desvalorizam, sete valoriza e uma empresa negoceia sem variação.

Por que não se negoceia hoje em Wall Street? É Dia de Ação de Graças nos EUA

A celebração deste feriado é também a razão pela qual as bolsas americanas estão encerradas. Hoje não há resultados do Wall Street.
Recomendadas

Credores privados dizem que cobrar juros é essencial para manter ‘ratings’ 

Em causa está a assunção por parte de algumas agências de ‘rating’, como por exemplo a Moody’s, de que se os credores receberem menos do que o inicialmente contratualizado, isso configura um incumprimento financeiro, independentemente das razões e mesmo com o acordo dos credores.

Dados surpreendentes do emprego deram gás a Wall Street

Na última sessão da semana o Dow Jones disparou 3%, mas o recordista foi o tecnológico Nasdaq. O ‘rally’ deveu-se aos ganhos da banca e das companhias aéreas e de cruzeiros, das mais penalizadas durante o confinamento.

CMVM levanta suspensão da negociação das ações da SAD do FC Porto

A decisão surge depois de a SAD anunciar o adiamento do reembolso do empréstimo obrigacionista para 2021.
Comentários