Bloco de Esquerda apresenta propostas para enfrentar crise no ensino superior

“É absolutamente essencial garantir apoio aos bolseiros, aos investigadores, aos docentes cujo contrato precário entretanto acabou”, afirmou Catarina Martins num encontro com com os representantes da Fenprof, do Sindicato Nacional do Ensino Superior, do portal Quarentena Académica, da Associação Académica de Coimbra e da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica

catarina_martins_oe_2020
António Cotrim/Lusa

O Bloco de Esquerda (BE) apresentou esta terça-feira um conjunto de propostas para o ensino superior em resposta à crise. A divulgação surge na sequência de uma reunião da coordenadora bloquista Catarina Martins e o deputado Luís Monteiro com os representantes da Fenprof, do Sindicato Nacional do Ensino Superior, do portal Quarentena Académica, da Associação Académica de Coimbra e da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica.

“É absolutamente essencial garantir apoio aos bolseiros, aos investigadores, aos docentes cujo contrato precário entretanto acabou. Não podemos abandonar as pessoas de que Portugal necessita todos os dias”, disse a coordenadora do Bloco de Esquerda. Catarina Martins recordou que  “há problemas de docentes, nomeadamente docentes contratados com contratos precários, que ficam desprotegidos neste período e há o problema dos investigadores bolseiros que nem acesso ao subsídio de desemprego têm”, recorda.

Sobre o pagamento de propinas, a dirigente do BE referiu os estudantes que não conseguem pagar propinas ou renda e, portanto, têm a sua “permanência no ensino superior posta em causa”. Assim, o partido propõe um “mecanismo extraordinário de regularização de dívidas por não pagamento de propinas” aos estudantes com comprovada carência económica, assente numa moratória às prestações a pagamento entre março e julho, a serem diferidas por seis meses e a serem pagas em prestações.

Quanto às medidas de ação social, Catarina Martins referiu um “plano de emergência para assegurar quarto a todos os estudantes deslocados, a ser coordenado pelos SAS (Serviços de Ação Social) e a ser financiado pelo Estado”. O alargamento do prazo para candidatura a bolsa de ação social e que seja mesmo criada a possibilidade de qualquer estudante se poder candidatar em qualquer altura do ano é outra das sugestões dos bloquistas.

O Bloco de Esquerda também sugeriu a “garantia de internet mais rápida e com mais oferta de dados a todos os estudantes, docentes e investigadores”, o fornecimento gratuito “pelas instituições e centros de investigação” de equipamentos de proteção e a garantia da realização de testes serológicos a toda a comunidade académica.

“Com respeito da autonomia das instituições, há no entanto orientações que devem ser claras, que têm a ver com a saúde pública, nomeadamente, a distribuição de equipamentos para atividades presenciais”, sublinhou Catarina Martins.

A coordenadora do Bloco de Esquerda lembrou ainda que “vem aí o orçamento suplementar e este é o momento de garantir que as instituições do ensino superior têm orçamento para continuar a funcionar”.

Ler mais
Relacionadas

Bloco pressiona Centeno a acabar com dedutibilidade ilimitada dos juros para efeitos de IRC

“Sendo Portugal um dos países mais penalizados pela fuga da base tributária para países do centro europeu, é incompreensível que estas práticas sejam facilitadas”, defende a deputada do Bloco de Esquerda, perguntando ao Ministério das Finanças quando terminará lacuna na transposição da Diretiva Antielisão Fiscal.

Proposta do Governo sobre proibição de festivais aprovada na generalidade na AR

A proposta de lei relativa à proibição até 30 de setembro da realização de festivais e espetáculos de natureza análoga, foi hoje aprovada na generalidade, no parlamento, seguindo agora para discussão na comissão de Cultura.

“Não tem grande novidade”. Como um esclarecimento de Costa ao BE desencadeou uma crise política

“Sobre o Novo Banco a resposta que tenho para lhe dar não tem grande novidade relativamente à última vez que me fez a pergunta”. A 7 de maio, esta resposta de António Costa a Catarina Martins, durante um debate parlamentar, ia precipitando a saída de Mário Centeno do Governo.
Recomendadas

“Se tivéssemos encerrado o país mais cedo…”. Epidemiologista sueca deteta erros na gestão da pandemia

Uma das razões para que Annika Linde se viesse a retratar de declarações anteriores deveu-se ao facto da Suécia ter registado a maior taxa de mortalidade per capita do mundo durante dois dias seguidos, tendo passado as quatro mil vítimas mortais.

Especialistas defendem que união fiscal é chave para a união política europeia

No Webinar “O futuro da União Europeia”, uma iniciativa da Antas da Cunha ECIJA, Ana Gomes defendeu que “as questões da fiscalidade têm de passar a ser assumidas como uma questão europeia. A questão de recursos próprios europeus que dependem de impostos europeus, que não sejam o IVA — temos 50 mil milhões de euros de receitas de IVA por ano a financiarem organizações mafiosas e terroristas”, é importante.

Microsoft alerta utilizadores para esquema de fraudes via email

Os piratas informáticos fazem-se passar por docentes do Centro de Segurança em Saúde da Universidade Johns Hopkins (Estados Unidos), aliciando os utilizadores a clicarem num ficheiro de Excel falso.
Comentários