Bloco de Esquerda aprova adesão a coligação autárquica no Funchal

O Bloco de Esquerda ratificou a adesão à Coligação Confiança, que volta a ser liderada por Paulo Cafofo, e que foi constituída para participar nas próximas eleições autárquicas, no Funchal.

Na prática, a decisão da Comissão Política Nacional do Bloco de Esquerda e da Comissão Coordenadora madeirense do partido, limita-se a manter os bloquistas integrados numa coligação eleitoral liderada por Paulo Cafofo, candidato indicado pelo PS, que em Outubro tentará manter a maioria na Câmara Municipal do Funchal.

O Bloco de Esquerda – um dos poucos resistentes da coligação eleitoral de 2013, depois dos abandonos do MPT e do PTP e da extinção do PND decretada pelo Tribunal Constitucional – tem sido suporte essencial da coligação minoritária que governa o município do Funchal.

Depois da demissão em 2014 da antiga presidente da Assembleia Municipal, uma independente indicada pelo PS, o Bloco de Esquerda assumiu a presidência deste organismo municipal depois da eleição do também deputado regional Rodrigo Trancoso.

A continuidade do Bloco de Esquerda na coligação funchalense significa que estão superadas algumas divergências políticas surgidas durante o processo negocial liderado por Paulo Cafofo – o PS tem estado à margem dos contatos com outros partidos apoiantes em 2013 do actual edil funchalense.

Paulo Cafofo, que deverá anunciar a sua recandidatura até final deste mês, manter-se-á como candidato à liderança da Câmara do Funchal enquanto Rodrigo Trancoso será o candidato à presidência da Assembleia Municipal do Funchal.

A coligação que em 2013 conquistou pela primeira vez a Câmara do Funchal, derrotando o PSD, contará este ano, para além do PS, o apoio do Bloco de Esquerda, o Juntos pelo Povo e provavelmente o PAN e algum outro partido sem expressão política e sem representação parlamentar regional.

Ler mais
Recomendadas

Madeira regulamenta extração comercial de inertes

Com este Decreto Regional pretende-se implementar regras que têm como objectivo “disciplinar a atividade” e invocar “as competências próprias da Madeira e as suas especificidades territoriais”, diz o Diário da República.

Debate do Orçamento Regional para a Saúde marcado pelas listas de espera

O PS desafiou o executivo madeirense a apresentar solução para as listas de espera. O PSD em resposta disse que a solução apresentada pelos socialistas é levar utentes para hospitais com capacidade esgotada.

PCP diz que existem mais de 2000 idosos com reformas e pensões abaixo da média nacional na Madeira

Os comunistas vão propor a criação de um complemente de 65 euros para rendimentos abaixo do salário mínimo.
Comentários