PremiumBloco de Esquerda questiona Novo Banco no Eurobic

Bloquistas perguntam ao Ministério das Finanças sobre a operação e o seu impacto.

O Bloco de Esquerda quer saber se o Ministério das Finanças está a par do interesse do Novo Banco na aquisição de uma participação no EuroBic e do impacto que tal teria para as contas do banco. Numa pergunta que será entregue esta sexta-feira no Parlamento, a que o Jornal Económico teve acesso, a deputada Mariana Mortágua questiona as Finanças sobre o impacto da eventual aquisição no EuroBic nas contas da instituição liderada por António Ramalho e no Acordo de Capital Contingente.

Tal como noticiado pelo Jornal Económico, o Novo Banco é uma das entidades que está a avaliar o interesse na compra do EuroBic, tendo sinalizado uma “manifestação preliminar de interesse”.

Mortágua recorda que o Novo Banco é detido a 25% pelo Fundo de Resolução, cujos rácios mínimos de capital têm sido assegurados por injeções do Fundo de Resolução, através de financiamento do Estado, pelo que “a ideia de uma compra, ainda mais com este relevo, levanta um conjunto de questões”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Novo Banco: Avaliadores não veem razões para mudanças de valores de imóveis em seis meses

O responsável, ouvido esta quinta-feira na audição do presidente da ANAI Ramiro Teixeira Gomes na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, referia-se a “perdas de imparidades de uma instituição financeira, neste caso o Novo Banco, por via de ativos” imobiliários.

Cavaco lamenta “interpretações abusivas” acerca de declarações sobre BES

O antigo Presidente da República classificou de “intuitos pouco honestos” as declarações de quem fez “interpretações abusivas” das suas palavras sobre o BES antes da resolução, “chegando ao ponto de afirmar” que “tinha incentivado as aplicações em instrumentos financeiros do BES ou do respetivo grupo não financeiro”.

Novo Banco: Luís Filipe Vieira pede adiamento de audição devido a consulta médica

De acordo com o presidente da Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, Fernando Negrão (PSD), Luís Filipe Vieira “pediu que a audição fosse adiada para uma data posterior a uma consulta que tem”.
Comentários