Bloomberg: Fundo de pensões canadiano em negociações por 40% do negócio de fibra ótica da Altice Portugal

Um acordo de venda de 100% do negócio de fibra ótica da Altice Portugal poderá ser possível com valores entre os três mil milhões de euros e os quatro mil milhões de euros.

Um consórcio que inclui o fundo de pensões canadiano Omers está na ronda final para adquirir uma posição de 40% do negócio de fibra ótica da Altice Portugal, de acordo com a Bloomberg. A agência de informação económica avança ainda, sem identificar, que há outro grupo interessado em comprar 100% da rede de fibra ótica da Altice Portugal, que poderá estar avaliada entre três mil milhões de euros e quatro mil milhões de euros.

A Omers é um dos maiores fundos de pensões do Canadá, com sede na cidade de Toronto. De acordo com fontes próximas do negócio, citadas pela Bloomberg, as negociações entre o consórcio que inclui a Omers e a Altice Europa, que integra a Altice Portugal, “avançaram nas últimas semanas, depois de terem estado paradas”.

O consórcio de investidores apoiado pela Omers tem interesse em apenas 40% do negócio de fibra da Altice Portugal. Mas, segundo as mesmas fontes, haverá outra entidade interessada em adquirir 100% da rede de fibra ótica da Altice em Portugal.

Contudo, ainda nenhum acordo terá sido alcançado e não há garantias que as negociações “não caiam”, escreve a Bloomberg. Um acordo de venda de 100% do negócio de fibra ótica da Altice Portugal poderá ser possível com valores entre os três mil milhões de euros e os quatro mil milhões de euros.

“Estamos calmamente a analisar ofertas, sem pressão”
Neste último ano, o lançamento da venda do negócio de fibra ótica da Altice Portugal tem provocado várias ondas no setor das telecomunicações, desde logo pela forma como a concretização da operação pode contribuir para a abertura do mercado telco nacional a novos operadores. Contudo, contrariando o sentimento inicial de que a Altice teria de vender rapidamente a sua unidade de infraestruturas de fibra ótica, para que o grupo de Patrick Drahi aliviasse a sua dívida total e recuperasse a confiança do mercado, ao dia de hoje o sentimento é de acalmia.

A última referência que o presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, fez sobre a venda da fibra foi em novembro, aquando da apresentação das contas da empresa relativas ao terceiro trimestre. Alexandre Fonseca disse existirem “propostas muito interessantes”, mas que a empresa estaria “calmamente a analisar essas ofertas”.

“Não temos pressão […] Estamos a aguardar que haja uma propostas win-win para todos”, frisou. Questionado pelo perfil dos interessados, Alexandre Fonseca explicou serem infrastructural funds (fundos de infraestruturas em português) e especialistas em ativos de tecnológicas que não sejam fundos.

Foi no final de fevereiro deste ano que a Altice abordou formalmente o mercado para vender a sua rede de fibra ótica em Portugal. Tal como noticiou o JE à época, a infraestrutura foi avaliada por analistas em entre três e quatro mil milhões de euros, embora fontes de mercado tenham indicado que a Altice não venderia o negócio da fibra por menos de cinco mil milhões, por existirem avaliações superiores.

Nesse mês, o grupo de Patrick Drahi enviou um memorando aos potenciais compradores, fundos de capital de risco e outros investidores institucionais, através da assessora financeira francesa Lazard, mas sem referir a percentagem de capital colocada à venda.

Apesar da intenção de venda, o grupo francês liderado por Patrick Drahi pretende manter o controlo operacional da rede de fibra, que até ao final de 2020 deverá chegar a 5,3 milhões de lares portugueses, disponibilizando serviços de voz fixa, internet em banda larga e televisão por subscrição.

A dona da Meo, inicialmente, quereria concretizar a alienação até ao fim do ano. Em abril, havia três candidatos que se preparavam para avançar com propostas vinculativas para comprar a rede de fibra ótica da dona da Meo. Entre eles a espanhola Cellnex e a DST em parceria com o Fundo Cube.

A Altice Portugal chegou a avançar que uma decisão final sobre a concretização da operação seria dada a conhecer no final do primeiro semestre do ano, contudo, durante o verão a mensagem transmitida foi de que não haveria urgência em alienar o negócio.

Ler mais
Relacionadas

PremiumFundo Digital Bridge investe 500 milhões em nova rede de fibra em Portugal

Digital Bridge vai apoiar antiga Cabovisão a ter operação com cobertura nacional e oferta convergente de banda larga fixa e móvel. Investimento chega no primeiro trimestre. Nowo quer triplicar quota para 12% do mercado, chegando a 3,5 milhões de lares.

Fibra ótica? “Estamos calmamente a analisar ofertas, sem pressão”, diz CEO da Altice

Questionado pelo perfil dos interessados, Alexandre Fonseca explicou serem ‘infrastructural funds’ e especialistas em ativos de tecnológicas que não sejam fundos.

Altice Portugal não tem “deadline para concluir venda da fibra ótica”

Num encontro com jornalistas sobre as contas da Altice Portugal, o administrador financeiro da empresa, Alexandre Matos, explicou em que fase está a operação de venda da fibra ótica.

PremiumVodafone e NOS colocam pressão sobre venda da rede da Altice

Operadoras relançam parceria para fibra ótica no momento em que a Altice negoceia a venda da rede do MEO com o argumento de que poderá ser aberta aos concorrentes. Altice acusa rivais de jogada de “marketing”.

Altice: conversas com potenciais compradores da fibra ótica continuam “dos dois lados do Atlântico”

A conclusão da venda da operação de fibra ótica chegou a estar prevista para o final do primeiro semestre de 2019, mas até ao momento nenhum desfecho foi anunciado.

CEO da Altice Portugal afirma que venda da rede de fibra ótica atrai mais de 10 interessados

Alexandre Fonseca disse que “em qualquer processo de venda procura-se vender pelo valor mais alto possível”, num encontro com a imprensa, que decorre esta sexta-feira, em Lisboa.

Altice convida investidores a apresentarem propostas para a rede da fibra óptica

Dona da Meo lançou venda de ativos avaliados em entre três e quatro mil milhões, mas quer manter controlo operacional e promete continuar a investir na fibra em Portugal.

PremiumAltice lança venda de rede de fibra ótica em Portugal

Dona da Meo lançou venda de ativos avaliados em entre três e quatro mil milhões, mas quer manter controlo operacional e promete continuar a investir na fibra em Portugal.
Recomendadas

Pestana CR7 chega a Madrid com investimento de 15 milhões de euros

Esta unidade, cujo investimento ascende a cerca de 15 milhões de euros, marca a primeira internacionalização da marca Pestana CR7 Lifestyle Hotels.

EDP Renováveis aumenta produção em 6% em 2019

As geografias que mais cresceram em termos de produção de energia na EDP Renováveis foram o Brasil (+42%) e os EUA (+6%).

Passageiros de cruzeiro no porto de Lisboa com queda de 1% em 2019

O porto da capital registou no ano passado um crescimento de 17% do número de passageiros de cruzeiro em ‘turnaround’, com partida e fim em Lisboa, totalizando 72.830 passageiros, face aos 62.089 registados em 2018.
Comentários