BNI Europa associa-se à Funding Circle para dar crédito a PME na Alemanha

O investimento irá apoiar as necessidades de financiamento de cerca de 600 empresas alemãs, ajudando a criar cerca de 1.500 novos postos de trabalho na Alemanha.

O Banco BNI Europa vai financiar diretamente pequenas e médias empresas na Alemanha através da plataforma de empréstimos Funding Circle. Tudo porque ambas as instituições acordaram uma parceria estratégica.

O Banco BNI Europa junta-se assim a um grande grupo de investidores no apoio ao crescimento e a inovação das pequenas e médias empresas em todo o mundo através da Funding Circle. Este grupo de 70 mil investidores inclui investidores institucionais como o Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW), o Banco Europeu de Investimento, o British Business Bank e a empresa holandesa de serviços financeiros Aegon, explica a instituição em comunicado.

Como parte do acordo, e durante os próximos meses, o Banco BNI Europa concederá financiamentos até ao montante de 50 milhões para financiar empréstimos de pequenas e médias empresas na Alemanha.

“Este é o maior compromisso do Banco BNI Europa para com as pequenas e médias empresas alemãs. O investimento proporcionará acesso ao financiamento a cerca de 600 empresas, ajudando a criar cerca de 1.500 novos postos de trabalho”, diz o banco liderado por Pedro Pinto Coelho.

O objetivo a longo prazo é ampliar a parceria para outros países onde a plataforma Funding Circle se encontra ativa.

De acordo com Pedro Pinto Coelho, Presidente Executivo do Banco BNI Europa, em comunicado, “o investimento em PME‘s alemãs – o elemento básico da estabilidade económica europeia – é uma classe de ativos altamente atrativa, e a Funding Circle é o parceiro profissional que nos convenceu com sua avaliação de risco e análise de crédito. Uma combinação perfeita: tanto o Banco BNI Europa, como a Funding Circle, comprovaram que são capazes de estimular as economias locais através da inovação tecnológica e financeira ”

Por sua vez Thorsten Seeger, Diretor-Geral da Alemanha da Funding Circle, referiu que “A parceria com o Banco BNI Europa é um sinal importante para as PME‘s alemãs e um passo adicional para estabelecer soluções de financiamento para as empresas”, acrescentando que esta parceria “estimula a nossa missão de facilitar o acesso ao financiamento para pequenas e médias empresas reduzindo a sua dependência de um sistema bancário desatualizado. Além de entregar retornos atraentes aos investidores, também medimos o nosso sucesso através de nossa contribuição imediata para estimular a economia local “.

A deterioração das condições de financiamento, especialmente para as pequenas e médias empresas, tornou-se um dos principais obstáculos à inovação e ao crescimento nos últimos 10 anos, considera o BNI Europa.

“Quanto mais jovens e mais pequenos os negócios, maiores os obstáculos – apesar da boa solvência”, diz o banco.

De acordo com um estudo da KfW, mais de uma em cada 4 empresas com um volume de negócios anual de até 1 milhão de euros relatou crescentes dificuldades de acesso ao financiamento na Alemanha.

Até ao momento, a plataforma Funding Circle facilitou empréstimos a mais de 40.000 empresas em todo o mundo com um valor acumulado de mais de 4,7 mil milhões de euros.

Em dezembro, a empresa atingiu o marco de 100 milhões de empréstimos financiados por meio de sua plataforma na Alemanha.

Recomendadas

Commerzbank agrava prejuízos para 394 milhões de euros no primeiro semestre

O Commerzbank, segundo maior banco comercial privado da Alemanha, informou que as receitas totais melhoraram no primeiro semestre para 4.353 milhões de euros (+5,5%).

Novo Banco, BCP, Caixa Geral de Depósitos e Santander recusaram apoio à Dielmar (com áudio)

A administração da Dielmar fez saber a 2 de agosto que pediu a insolvência da empresa de vestuário, ao fim de 56 anos de atividade. A decisão foi justificada com os efeitos da pandemia. Mas antes a empresa procurou ajuda junto da banca nacional, que recusou ajudar por falta de garantias.

HSBC mais do que triplica lucros para 6.129 milhões de euros no primeiro semestre

Na apresentação de resultados que o grupo remeteu à bolsa de Hong Kong, onde está cotado, o presidente executivo, Noel Quinn, afirmou que os resultados refletem que se “regressou ao crescimento” nos principais mercados do banco.
Comentários