BNI Europa com lucros de 2,7 milhões no semestre

O banco liderado por Pedro Pinto Coelho recuperou dos prejuízos de 2016 no primeiro semestre. O produto Bancário cresceu 146,2%, fixando-se em 6,6 milhões, com o resultado líquido a atingir os 2,7 milhões de euros.

Os ativos do Banco BNI Europa cresceram 36,7% no semestre, atingindo quase 500 milhões de euros. O produto Bancário cresceu 146,2%, fixando-se em 6,6 milhões, com o resultado líquido a atingir os 2,7 milhões, permitindo recuperar dos prejuízos de 2016, começa por revelar o banco em comunicado.

O banco que pertence ao grupo angolano BNI, tem-se afirmado como banco digital em Portugal.

Um ano e meio após o início de atividade, e com a equipa de gestão reforçada, o BNI Europa realça que “procedeu a alterações relevantes na sua estratégia, focando-se em negócios e produtos inovadores. Condicionado pela sua estrutura limitada de recursos, o Banco BNI Europa desenvolveu parcerias com Fintech’s, tendo como objetivo acelerar o crescimento e a oferta de produtos e serviços”.

Pedro Pinto Coelho, CEO do Banco BNI Europa diz em comunicado que este resultado “foi um feito assinável pela equipa ter-se alcançado a rentabilidade em tão curto período de tempo. O Banco BNI Europa demonstra assim que é possível alcançar o sucesso abrindo as suas plataformas ao mercado, ao invés de se centrar exclusivamente em soluções construídas internamente”.

O BNI Europa tem vindo a destacar-se por oferecer atrativos produtos de depósito a prazo e conta à ordem remunerada. Em 2017 lançou o “Cereja” com Crédito Inverso, produto destinado ao segmento sénior, assim como, mais recentemente, a plataforma de crédito ao consumo online “Puzzle”.

“O Banco tem também vindo a especializar-se na gestão de soluções alternativas de captação de recursos e de crédito, tendo já estabelecido parcerias com 12 Fintech’s europeias, através das quais disponibiliza depósitos a prazo e financia operações de crédito em diversas jurisdições europeias. As operações de crédito financiadas incluem crédito ao consumo a particulares e estudantes, crédito a PME’s, incluindo-se factoring e financiamento imobiliário”, diz o comunicado da instituição.

“O BNI Europa continuará a focar-se na inovação e parceria com Fintech’s, pretendendo lançar até ao final do ano quatro novos produtos de  crédito ao consumo e crédito a PME’s”, avança o banco.

 

Ler mais
Recomendadas

Banco Atlantico, Montepio, EDP, CGD, Patris, Totta, CCCAM, BPG e BPI multados

Banco de Portugal voltou a atualizar a lista de decisões sobre processos de contraordenação que foram instaurados ao sistema financeiro nos últimos anos.

Fórum: a banca à medida dos clientes

A banca digital está a responder às necessidades dos clientes, habituados a um mundo cada vez mais tecnológico. Pretendemos e podemos resolver os nossos problemas financeiros quando, onde e como queremos.

Clientes são os vencedores do ‘confronto’ entre FinTech e a banca

Com a aposta no digital, a banca segue o exemplo das FinTech em identificar soluções para resolver as exigências dos clientes.
Comentários