PremiumBNP Paribas junta-se à rede de parceiros do Técnico

Protocolo reforça ligação entre o maior empregador de talento qualificado do país e a centenária escola de engenharia. O banco, que já emprega 135 antigos alunos do IST, tem 30 vagas ‘premium’ para graduados da casa.

À partida, um banco até nem parece ser uma grande saída profissional para quem estuda no Técnico, porém é num grande grupo financeiro francês que muitos portugueses formados pela maior escola de engenharia encontram a chave para uma carreira. E, a partir de agora, muitos mais irão encontrar.

Um protocolo assinado, no início desta semana, entre o BNP Paribas e o Instituto Superior Técnico reforça a ligação entre o maior empregador de talento qualificado do país e a centenária escola de engenharia da Universidade de Lisboa, conforme destacou o CEO do BNP Paribas Portugal, Fabrice Segui.

Do outro lado, Rogério Colaço, recentemente chamado à liderança do Técnico, deixou a sua primeira assinatura neste projeto enquanto presidente da instituição. Ao Jornal Económico explicou que aquilo que as empresas contratualizam com o Técnico é, acima de tudo, confiança.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumNovo Banco anuncia hoje prejuízo de cerca de mil milhões de euros em 2019

O Novo Banco apresenta hoje as contas que justificam a chamada de 1.037 milhões ao Fundo de Resolução. O banco teve prejuízos de cerca de mil milhões, mas o lucro recorrente é de 170 milhões.

PremiumComissões representam um terço das receitas dos bancos nacionais

Limitações propostas na cobrança de comissões podem levar a despedimentos na banca. Setor tem maior desequilíbrio na concorrência entre bancos e novos ‘players’ digitais na captação de clientes.

Aprovadas propostas do BE e PSD que proíbem comissões no processamento do crédito

Do BE, as propostas (uma para crédito ao consumo e outra para crédito à habitação) que proíbem os bancos de cobrarem comissões por processamento de prestações de crédito foram aprovadas com votos contra da Iniciativa Liberal, a abstenção de PS, PSD e CDS-PP e votos a favor das restantes bancadas.
Comentários