Boeing aponta para 2024 regresso das viagens aos níveis pré-pandemia

A Boeing diz que o levantamento das restrições será fundamental para permitir “a recuperação da procura condicionada com o que já existe no mercado”.

A fabricante de aviões Boeing afirmou ter a expectativa de que demore mais dois anos e meio até que a aviação global volte aos níveis anteriores à pandemia. Quem o disse foi o vice-presidente de marketing comercial da empresa, Darren Hulst, que fez questão de sublinhar que os voos domésticos estarão na vanguarda de qualquer recuperação, citado pela “BBC”.

As rotas internacionais de longa distância levarão mais tempo a recuperar, de acordo com a previsão da Boeing, em parte devido às restrições dos governos. A Boeing diz que o levantamento de tais restrições será fundamental para permitir “a recuperação da procura condicionada com o que já existe no mercado”.

No ano passado, o número de passageiros caiu 60% para 1,8 mil milhões e a indústria perdeu 126 mil milhões de dólares (106,5 mil milhões de euros), de acordo com a companhia aérea IATA, que disse que foi o pior ano já registado.

A Boeing diz que a força da economia global é a chave para se recuperar da crise. através dos dados da IHS Economics, a empresa afirma que “a economia global está, na verdade, a voltar para onde estaria se o vírus não tivesse realmente aparecido.”

O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera que a economia global cresça 6% neste ano e 4,9% no próximo, enquanto se recupera dos danos infligidos pela pandemia.

Uma abordagem global coordenada sobre as restrições de viagens também é um fator “tremendamente importante” na recuperação, disse Hulst, acrescentando que o entendimento comum das regras de viagens permite às pessoas “retomar os negócios, retomar as visitas e retomar a forma como usam o sistema de transporte global.”

Em todo o mundo, os governos adotaram as suas próprias abordagens para identificar as pessoas vacinadas ou com testes realizados. Existem também requisitos diferentes em relação aos períodos de quarentena, o que torna as viagens internacionais um tema complicado.

No entanto, no mês passado, a União Europeia introduziu um passaporte de vacina para facilitar as viagens através das fronteiras no bloco. A indústria da aviação é vista como crucial para a economia global. A Organização de Aviação Civil Internacional da ONU estima que antes da pandemia a indústria representava 3,6% da economia global e sustentava 65,5 milhões de empregos em todo o mundo.

Recomendadas

Lista do quadros do Montepio alerta que 57% dos associados não pode votar presencialmente

“Verificou-se que a atual Administração optou por deixar de fora do voto presencial os Associados dos Açores, Madeira, Faro, Évora, Beja, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Setúbal, Leiria, Aveiro, Coimbra, Viseu, Viana do Castelo, Bragança, Braga, Santarém e Vila Real”, alerta a lista liderada por Pedro Gouveia Alves.

Marcelo defende que Estado e privados se unam na reconstrução do turismo

“É necessário que os agentes privados e os poderes públicos tenham uma visão coletiva a médio prazo. Os privados sabem que a retoma da atividade turística requer um horizonte a vários anos. É bom que Estado partilhe essa necessidade de uma visão a médio e longo prazo para o turismo”, defendeu o Chefe de Estado.

5G: Com novas regras em vigor, propostas somam os 375,4 milhões

As propostas dos operadores no leilão 5G somaram hoje 375,4 milhões de euros, no 180.º dia de licitação principal, de acordo com os dados divulgados pela Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).
Comentários