Bolsa de Lisboa fecha na linha de água. BCP cai mais de 1%

O BCP sofreu com a incerteza quanto ao Orçamento de Itália a fazer-se sentir na Banca italiana. O PSI 20 fechou em queda ligeira, melhor do que as restantes praças. O acordo para o Brexit ainda ensombra as bolsas da Europa.

O PSI 20 fechou a cair 0,06% para 4.913,9 pontos puxada pelas quedas da Pharol (-3,13% para 0,173 euros), da Mota-Engil (-2,61% para 1,570  euros); do BCP que deslizou -1,40% para 0,2465  euros; e da NOS que caiu -1,36% para 5,085 euros.

O BCP sofreu com a incerteza quanto ao Orçamento de Itália a fazer-se sentir na Banca italiana, ainda que o vice-primeiro-ministro italiano, Luigi Di Maio tenha admitido um entendimento com o BCE sobre a necessidade de redução de dívida.

Há uma semana Di Maio garantiu que “A Itália não sairá da zona do euro, garanto isso como vice-primeiro-ministro do governo”. Di Maio é líder do partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5E).

Em terreno positivo destaque para a Semapa que subiu 1,22% para 14,980 euros; e a Jerónimo Martins que valorizou 1,19% para  10,650 euros.

A Galp subiu 0,95% para 14,860 euros.

Na Europa  a maioria dos principais índices acabaram com saldo diário negativo. Ramiro Loureiro, Analista de Mercados do Millennium investment banking, explica que “se por um lado o movimento de recuperação das matérias-primas justificou a valorização do setor de Recursos Naturais, por outro a desilusão nas projeções da Nvidia e da Applied Materials castigou o sentimento no setor tecnológico” .

Outro foco de pressão, diz o analista, “são as dúvidas sobre a permanência de Theresa May como Primeira-ministra britânica e se consegue passar o acordo no Parlamento”. O tema do Brexit continua nas manchetes internacionais, numa altura em que muito se fala do futuro de Theresa May à frente dos destinos do Reino Unido, perante o pedido de demissão de alguns membros do Governo.

O FTSE 100 caiu hoje 0,34% para 7.013,88 pontos; o CAC 40  desce 0,17% para 5.025,2 pontos; ao passo que o Dax caiu 0,11% para 11.341 pontos. Milão deslizou 0,14% para 18.878,3 pontos e o espanhol Ibex  caiu 0,18% para 9.057.

A Irlanda fechou em alta em contra-ciclo com a Europa (+0,44%), isto depois de ficar claro que nas 585 páginas do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia encontra-se um protocolo específico para garantir que não é reposta a fronteira física entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte. Este foi um dos pontos mais difíceis do processo de divórcio.

As partes comprometeram-se a manter viva a Cooperação Norte/Sul na ilha da Irlanda, e a respeitar integralmente os pontos do Acordo de Sexta-feira Santa, assinado em 1998 que estabeleceu a paz entre as duas Irlandas.

O EuroStoxx 50 caiu 0,30% para 3.180,7 pontos.

No mercado de petróleo os futuros subiram 0,53% no que toca ao Brent de Londres para 66,97 dólares e o WTI ganha 0,43% para 56,7 pontos.

No mercado de dívida pública, a dívida alemã subiu 0,7 pontos base para 0,367%, mas a dívida portuguesa também agravou 0,7 pontos base ao subir para uma yield de 1,976%; Espanha viu os juros subirem 0,5 pontos base para 1,636%; e Itália regista uma queda dos juros da dívida  10 anos de 0,2 pontos base para 3,491%.

 

Ler mais
Recomendadas

Ações americanas levam rendibilidades dos fundos acima dos 6%

Apenas cinco fundos de investimento mobiliário (FIM) conseguiram rendibilidades anualizadas brutas acima dos 6% e todos estão expostos a ações americanas. Os dados referem-se a novembro último e são da APFIPP.

Quer investir as poupanças? Descubra o seu perfil de investidor

Antes de fazer qualquer investimento, conheça o seu perfil de investidor. Saiba o que é, para que serve e qual é o perfil que se adequa aos seus objetivos.

Wall Street fecha em queda acentuada com taxa de desemprego nos 3,7%

A NYSE fecha com a maior queda desde março. Os novos dados económicos desiludiram os investidores. O petróleo sobe com o acordo da OPEP.
Comentários