Bolsa de Lisboa segue em queda. Jerónimo Martins cai quase 5%

O grupo Sonae – Sonae SGPS e Sonae Capital – está em contraciclo com uma subida de 0,68% e 4,49%, respetivamente.

A bolsa de Lisboa continua em terreno negativo a meio da sessão desta quarta-feira (1 de abril), com uma queda de 2,29%, para 3.976,16 pontos. O PSI-20, que acompanha as perdas da Europa, está a ser pressionado pelas desvalorizações de quase todas as cotadas. Só o grupo Sonae – Sonae SGPS e Sonae Capital – sobe 0,68% e 4,49%, respetivamente.

Já o setor da energia está no ‘vermelho’, com os títulos da EDP, da Galp Energia e da REN a caírem 3,64%, 1,59% e 1,94%, pela mesma ordem. O BCP recua 1,56%, no dia em que alguns bancos revelaram a suspensão de dividendos, como a Société Generale, Natixis, Barclays ou Santander, seguindo a recomendação do BCE, conforme lembra Ramiro Loure iro.

“De notar que o setor bancário tinha a maior dividend yield no Stoxx 600, o que pode traduzir-se em algum desconforto paras os investidores a nível desta perda de rentabilidade, acabando assim por ser o setor mais castigado no universo Stoxx 600”, aponta o trader do Millennium bcp.

No entanto, a lidera as quedas está a Jerónimo Martins, com um tombo de 4,87%, para 15,64%. “Apesar deste início negativo, os investidores continuarão a interrogar-se sobre o potencial de recuperação do rally iniciado na semana passada. Embora o PSI-20 seja, na fase atual, quase inteiramente influenciado pelos desenvolvimentos externos, iremos indicar as resistências que o PSI-20 e alguns dos seus membros terão que superar para prolongar o movimento ascendente”, referem os analistas do CaixaBank/BPI Research.

As principais praças do ‘Velho Continente’ seguem o mesmo sentimento pessimista. O índice alemão DAX perde 3,96%, o britânico FTSE 100 recua 3,75%, o francês CAC 40 tomba 4,35%, o holandês AEX cai 3,72%, o espanhol IBEX 35 ‘diminui’ 2,30% e o italiano FTSE MIB perde 2,28%. O Euro Stoxx 50 está com uma desvalorização de 4,11%.

Em relação ao petróleo, a cotação do barril de Brent cai 3,76%, para 25,36 dólares, enquanto a cotação do crude WTI avança 0,29%, para 20,54 dólares por barril. “Caso os restantes membros da OPEP resolvam aumentar a produção, estes valores poderão não ser o fundo do poço ainda. O API de ontem mostrava um aumento acima do esperado nos stocks de petróleo. Hoje serão divulgados os inventários de petróleo da EIA, às 15:30, que poderão aumentar a pressão sobre os preços”, explica André Pires, analista da XTB.

Quanto ao mercado cambial, o euro deprecia 0,75% face ao dólar (1,0946) e a libra esterlina “desvaloriza” 0,22% perante a divisa dos Estados Unidos (1,2389).

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha mista com aumento do desemprego

A avalanche de dados macroeconómicos justifica a fraca performance da bolsa. Os dados do emprego semanal dão uma subida dos pedidos de subsídio de desemprego no país pela segunda semana consecutiva, até os 778 mil, muito pior do que o esperado pelo consenso do mercado. Isto pode deixar marcas persistentes no mercado laboral dos Estados Unidos.

CMVM tomou 22 decisões de contraordenação algumas das quais originam coimas que somam 700 mil euros

Na base das decisões da CMVM estão 11 processos relacionados com infrações por violação de deveres dos auditores; cinco processos por violação dos deveres dos intermediários financeiros; três processos por violação de deveres das entidades responsáveis pela gestão de Organismos de Investimento Colectivo; entre outros. A maioria das coimas aplicadas está suspensa.

Bolsa de Lisboa fecha com subida superior a 1%

CTT, EDP Renováveis e BCP subiram mais de 2%. As ações da tecnológica Novabase, que divulgou esta tarde ao mercado o Plano para a Igualdade de Género e Diversidade, caíram 0,61% para 3,27 euros.
Comentários