Bolsa nacional segue sessão a cair. Mota-Engil e BCP registam as maiores perdas

O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, tomba agora 0,88%, para 5.357,76 pontos, acompanhando a tendência das principais congéneres europeias.

Benoit Tessier / Reuters

A bolsa portuguesa segue a cair na sessão desta terça-feira, com 14 cotadas a cai, duas a subir e duas inalteráveis. O principal índice bolsista nacional, o PSI 20, tomba agora 0,88%, para 5.357,76 pontos, acompanhando a tendência das principais congéneres europeias.

Com a F. Ramada e a REN inalteradas e apesar da valorização das cotadas EDP (0,71%, para 3,1100 euros) e EDP Renováveis (0,25%, para 7,9800 euros), o PSI 20 confirma a previsão do diário da bolsa do BPI e está a ser “penalizado pela deterioração da envolvente externa”. Mota-Engil e BCP a lideram as perdas.

A empresa de construção civil afunda 3,52%, para 3,1550 euros. Já o banco liderado por Nuno Amado, que é um dos pesos pesados do PSI 20, tomba 2,28%, para 0,2658 euros.

Os CTT também se destacam com uma desvalorização de 2,88%, para 3,0380 euros. A Pharol cai 2,41%, para 0,2225 euros, e a Navigator fecha o top5 das maiores perdas em bolsa, ao recuar 1,50%, para 4,7160 euros.

Nas praças europeias, alemão DAX afunda 1,33 %, o francês CAC 40 desvaloriza 0,78%, o britânico FTSE 100 tomba 0,74% e o italiano FTSE MIB recua 0,78%, o espanhol IBEX 35 cai 0,89%, e o holandês AEX desvaloriza 0,86%.

No mercado petrolífero, o Brent soma 0,81% para os 68,19 dólares por barril e o crude WTI avança 0,73% para os 63,47 dólares.

No mercado cambial, o euro valoriza 0,19% face ao dólar, para 1,2325 dólares.

[Dados das 9h27]

PSI 20 abre sessão a cair, “penalizado pela deterioração da envolvente externa”

Ler mais

Recomendadas

Presidente da República exige maior controlo da legalidade na contratação pública

“É naturalmente compreensível – e até desejável – a necessidade de simplificação e de aperfeiçoamento de procedimentos em matéria de contratação pública que possam, com rigor, implicar a melhoria das condições de vida dos portugueses e permitir flexibilizar a atribuição e a alocação dos referidos fundos”, salientou Marcelo Rebelo de Sousa.

Presidente da República veta diploma que altera regras de contratação pública

Este veto do chefe de Estado foi divulgado no portal da Presidência da República.

Natal e passagem de ano: estas são as 14 regras que vão vigorar

Restaurantes abertos até à uma da manhã nas noites de natal e de passagem de ano, e natal sem interdição de circulação entre concelhos são algumas da medidas que vão vigorar durante a época festiva. Governo avalia medidas a 18 de dezembro à luz da evolução da pandemia da Covid-19.
Comentários