Bolsa portuguesa arranca em terreno negativo. Grupo EDP e tombo de 6% da Ibersol penalizam PSI 20

Entre as principais congéneres europeias, o britânico FTSE 100 cede 0,06% e o espanhol IBEX 35 recua 0,09%. O alemão DAX soma 0,16% e o francês CAC 40 ganha 0,24%.

A bolsa portuguesa negoceia em terreno negativo esta terça-feira, prolongando as perdas da última sessão. O principal índice bolsista português (PSI 20) abriu a cair 0,15%, para 4.999,30 pontos.

Entre as principais congéneres europeias, o britânico FTSE 100 cede 0,06% e o espanhol IBEX 35 recua 0,09%. O alemão DAX soma 0,16% e o francês CAC 40 ganha 0,24%. Os investidores continuam a corrigir posições, preparando-se para a época de resultados, que incidirá sobre o primeiro trimestre de 2021 e que vai servir para medir o impacto da pandemia nas operações das empresas no arranque do ano.

Na bolsa portuguesa, os títulos da EDP e da EDP Renováveis penalizam o PSI 20. A EDP desliza 0,08%, para 5,156 euros, e a EDP Renováveis cai 0,69%, para 18,82 euros. Mas é a Ibersol quem lidera as perdas, ao afundar 6,64% para 5,34 euros.

Por cá, as cotadas do grupo EDP estão entre as que mais penalizam o PSI-20. A casa-mãe perde 0,08% para 5,156 euros enquanto a EDP Renováveis desliza 0,69% para 18,82 euros.

As quebras da NOS (-0,40%) e da Jerónimo Martins (-0,17%) também se evidenciam no arranque da sessão.

O mercado petrolífero negoceia em alta, numa altura em que o Brent avança 0,57%, para 63,62 dólares, e o WTI soma 0,49%, para 59,99 dólares.

No mercado cambial, o euro deprecia 0,11% face ao dólar, para 1,1896 dólares. Já na relação com a libra, a moeda da zona euro deprecia 0,23%, para 0,8645 libras. A libra aprecia 0,15% face ao dólar, para 1,3763 dólares.

Ler mais

Recomendadas

Bolsa portuguesa regressa aos ganhos. NOS, EDP e BCP impulsionam PSI 20

PSI 20 negoceia em alta depois de ter fechado a sessão de terça-feira a a descer 1,82% para 5.083,02 pontos. Entre as principais praças europeias, o alemão DAX avança 0,12% e o britânico FTSE soma 0,30%. O francês CAC 40 cede 0,01% e o espanhol IBEX desliza 0,05%.

Recuperação e inflação devem levar Portugal a pagar mais para emitir dívida a 10 e 15 anos

A ultima venda de OT a 10 anos foi através de um sindicato bancário, a 7 de abril, com a instituição liderada por Cristina Casalinho a pagar 0,30% para emitir quatro mil milhões de euros, mas entretanto as ‘yields’ têm vindo a subir devido à expectativas sobre a inflação e sobre o programa de compra de ativos do BCE.

Wall Street encerra a ‘vermelho’ com Dow Jones em queda

O índice S&P 500 encerrou em baixa esta terça-feira, com o aumento dos preços das commodities e a escassez de mão de obra gerando temores de que o aumento de preços no curto prazo possam se transformar em inflação de longo prazo
Comentários