Bolsa portuguesa encerra em queda apesar de a Corticeira Amorim disparar mais de 3%

A Europa fechou mista. Por cá a Corticeira Amorim destacou-se pela positiva e a EDP e Jerónimo Martins pela negativa. Fora do PSI-20 o destaque vai para as ações do Benfica, depois de ontem, a Sport Lisboa e Benfica SGPS, que detém 66,90% das ações de categoria B da SAD, ter lançado uma OPA sobre o equivalente a mais 28,06% da SAD.

A bolsa portuguesa encerrou em ligeira baixa (-0,07% para 5.260 pontos), apesar das ações da Corticeira Amorim terem disparado +3,17% para 10,420 euros, depois de ter recebido uma nota positiva da Berenberg.

A condicionar o comportamento do índice PSI-20 estiveram sobretudo as ações da EDP (-1,06% para 3,727 euros) e da Jerónimo Martins (-1,16% para 14,875 euros). A Pharol também caiu -2,13%.

Por seu turno, a EDP Renováveis deslizou -0,39% para 10,160 euros.

Já o BCP, ganhou 0,97% para 0,2072 euros, registando assim uma overperformance face ao respetivo setor na Europa.

A Mota-Engil também avançou +0,96% para 2,110 euros e a Navigator valorizou +0,79% para 3,594 euros.

O destaque de hoje vai para as ações do Benfica, depois de ontem, a Sport Lisboa e Benfica SGPS, que detém 66,90% das ações de categoria B da SAD, ter lançado uma Oferta Pública de Aquisição sobre o equivalente a mais 28,06%. De acordo com o anúncio preliminar de lançamento da OPA, publicado no site da CMVM, o preço da oferta é de 5  euros por ação. As ações do Benfica subiram 71,01% para os 4,72 euros.

A Europa fechou mista, com os investidores atentos ao desenrolar nas negociações entre os EUA e a China. Ontem foi comunicado que os EUA decidiram alargar por mais três meses a autorização para que as empresas norte-americanas possam vender equipamentos à Huawei.

Na abertura os principais índices chegaram a atingir uma valorização de 1% mas lentamente esses ganhos foram-se desvanecendo.

O EuroStoxx 50 caiu 0,23% para 3.696,6 pontos. Já a praça londrina viu o FTSE ganhar 0,22% para 7.323,8 pontos. O CAC 40 recuou 0,35% para 5.909,05 pontos, mas o DAX subiu 0,11% para 13.221,12 pontos. Depois temos Milão em queda de 0,57% para 23.329,2 pontos e Madrid em alta de 0,01% para 9.259,2 pontos.

“No plano empresarial destacamos o aumento das vendas de carros na Europa em outubro, as encomendas recebidas pela Airbus e a nota de um analista que impacta nas ações da Corticeira Amorim”, diz o analista do Millennium BCP.

Já o analista do BPI destacou no âmbito empresarial, “as ações da Easyjet que se valorizaram, depois da empresa ter reportado resultados anuais que se situaram no limite máximo do intervalo das suas previsões”.

Foi hoje notícia que a Deutsche Boerse estará a estudar a compra da BME (Bolsas Y Mercados Espanholes). A mesma fonte indica que a operação ainda está numa fase preliminar. Entretanto, de acordo com o jornal La Infomación, a Deutsche Boerse juntou-se à Euronext e à suíça SIX Group, na lista de interessados pela aquisição da rival espanhola.

A nível macroeconómico, destaque para a produção no Sector da Construção da Eurostat. Em setembro de 2019, a produção no sector da construção aumentou 1,6% em Portugal, diminuiu 0,7% na Zona Euro e aumentou 0,3% na UE a 28, em termos homólogos.

Outro tema em destaque são as vendas de carros na União Europeia que aumentam em outubro. Considerando apenas a UE a 28 houve uma subida de 8,7% para as 1,178 milhões de unidades.

Já por fabricante, a Volkswagen teve um aumento homólogo de 31,1%; o Grupo PSA registou queda de 4,9%; a Renault aumentou as vendas em 12,9%; a BMW cresceu 2,9%; a Daimler viu unidades vendidas caírem 0,2% e a Fiat-Chrysler registou uma subida homóloga de 2,5%.

De janeiro a outubro de 2019, produziram-se 281.807 veículos automóveis para exportação, o que representa um aumento de 17,6% relativamente ao mesmo período de 2018.

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, as vendas de veículos automóveis de passageiros diminuíram 3,5% em Portugal e 0,7% na União Europeia, em termos homólogos.

A dívida alemã a 10 anos cai 0,3 pontos base para uma yield de -0,339%. Mas a dívida soberana portuguesa agrava-se 2,6 pontos base para 0,373%. A dívida espanhola avança 1,7 pontos base para 0,431% e a italiana 3,8 pontos base para 1,246%.

O euro sobe 0,08% para 1,1081 dólares.

No mercado do petróleo, o Brent cai 1,95% para 61,22 dólares o barril o mesmo acontecendo com o crude West Texas que cai 2,44%.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street em alta à boleia do PIB chinês

Para além do PIB chinês, os investidores centraram a sua atenção nos dados económicos americanos.

Moody’s mantém ‘rating’ de Portugal inalterado

Agência norte-americana não se pronunciou sobre a notação da dívida soberana portuguesa, que se mantém em ‘Baa3’ e perspetiva ‘positiva’. Tal como na primeira avaliação do ano passado, a Moody’s atualizou apenas o calendário indicativo da próxima avaliação, marcada para 17 de julho.

EDP valoriza PSI 20 no fecho da sessão e em sintonia com as praças europeias

Praça lisboeta fechou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,16% para 5.315,53 pontos, seguindo a tendências das suas congéneres europeias.
Comentários