Bolsas europeias em correção. BCP e Galp pressionam PSI-20

Praças europeias fecham em correcção esta terça-feira, com perdas. PSI-20 recuou 1,35%, pressionado pelo BCP e pela energia. Queda do Brent penalizou a Galp.

As bolsas europeias não prosseguiram os ganhos registados na véspera e, esta terça-feira, entraram em “correção”, encerrando em território negativo, explicou o analista de mercados do Millennium bcp, Ramiro Loureiro.

O PSI-20 desvalorizou 1,35%, para os 4.033,26 pontos, pressionado pelo BCP e pelo setor da energia, nomeadamente a Galp, penalizada pela queda de 3,61% do Brent, que negoceia nos 40,90 dólares — em Nova Iorque, o West Texas Intermediate cede 4,21%, para 38,89 dólares.

“As bolsas europeias encerraram na sua generalidade em correção, no dia em que foi revelado que foram ultrapassadas um milhão de mortes por Coronavírus a nível mundial. A cidade de Nova Iorque ultrapassou a taxa dos 3% de testes positivos, entre o total de testados para o Covid-19, um fator que destabiliza o mercado. O facto das conversações entre Nancy Pelosi, Presidente da Câmara dos Representantes nos EUA, e o Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, acerca de um novo pacote de estímulos económicos, terem passado para amanhã, é outro fator de incerteza”, disse o analista.

O ‘peso-pesado’ BCP regressou, um dia depois, às perdas, caindo 3,52%, para 7,96 cêntimos.

Ainda entre os maiores pesos do índice bolsista nacional, destaque para o setor energético — à exceção da EDP Renováveis — que também penalizou a sessão. As ações da EDP desvalorizaram 0,7%, para 4,14 euros, as da Galp caíram 4,46%, para 7,76 euros, e os títulos da REN cedera 0,42%, para 2,365 euros.

Destaque ainda para a queda da Mota Engil, que perdeu 3,33% e encerrou a cotar 1,046 euros por ação. E, no retalho, a par da Jerónimo Martins, que perdeu 0,82%, a Sonae caiu 3,14%, para 0,5715 euros.

Na Europa, os índices pan-europeus Stoxx 600 e Stoxx 50 espelharam o desempenho das praças europeias, caindo, respetivamente, 0,52% e 0,28%.

Os setores da banca, dos seguros e da energia foram os que mais penalizaram o Stoxx 600, desvalorizando, respetivamente, 2,25%, 1,66% e 1,68%. Em sentido contrário, as utilities subiram 0,52%, a tecnologia avançou 0,24% e o setor industrial ganhou 0,18%.

Entre as principais praças europeias, o espanhol Ibex 35 foi o que mais perdeu esta terça-feira, cedendo 1,15%, seguindo-se italiano FTSE Mib, que caiu 0,52% e o britânico FTSE 100, que perdeu 0,51%. O DAX alemão desvalorizou 0,35% e o francês CAC 40 perdeu 0,23%.

Ler mais

Relacionadas

BCP e Altri continuam a manter PSI 20 no ‘vermelho’

Praça lisboeta está agora a cair 0,57%, para 4.064,71 pontos nesta terça-feira, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

BCP, Galp e CTT penalizam PSI 20, que acompanha Europa no vermelho

Entre as 18 empresas cotadas do PSI 20 apenas a Jerónimo Martins (0,25%) negoceia em terreno positivo. Há duas cotadas a negociar sem variação.
Recomendadas

PSI 20 penalizado pelos prejuízos da Galp no arranque da sessão

O PSI 20 acompanha também a tendência das principais congéneres europeias, numa altura em que o número de infetados com o novo coronavírus continua a aumentar na Europa.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.

Preço do petróleo mantém-se baixo para além de 2021, considera Banco Mundial

“Os preços do petróleo devem aumentar muito gradualmente face aos níveis atuais e chegar a uma média de 44 dólares em 2021, subindo face aos estimados 41 dólares por barril este ano, num contexto de uma recuperação lenta da procura e um abrandamento nas restrições à oferta”, lê-se no relatório sobre a evolução das matérias-primas.
Comentários