Bolsas europeias pendentes do Brexit e do BCE. Lisboa animada com CTT e BCP

Europa maioritariamente em alta em véspera de BCE. Lisboa não foi exceção com as ações dos CTT, BCP e Galp a puxarem pelo índice. A dívida pública continua em queda.

O mercado nacional fechou alta com os CTT a subir 4,03% para 2,5220 euros.

Também o BCP e a Galp apresentaram ganhos consideráveis, favorecendo o desempenho do índice PSI-20, que fechou a valorizar 0,83% para 5.057,72 pontos. O BCP ganhou 1,87% para 0,2019 euros e a Galp valorizou 1,20% para 13,865 euros.

Hoje após o fecho, a Jerónimo Martins divulgou os seus resultados relativos ao 3º trimestre do ano. Nos primeiros nove meses a retalhista lucrou mais 3,5% ao atingir um resultado de 302 milhões de euros. As vendas aumentaram 6,7% para 13,7 mil milhões.

O CaixaBank BPI Research antevia que as vendas de junho a setembro tivessem aumentado 8% em termos anuais para os 4,722 mil milhões, o EBITDA registado um crescimento de 10% para os 290 milhões e o resultado líquido terá atingido os 124 milhões (no 3º trimestre), o que significa um crescimento de 11%.

Em terreno negativo estiveram poucos títulos, com destaque para as ações da EDP Renováveis (-0,60%), Corticeira Amorim (-0,80%) e NOS (-0,28%).

As principais bolsas europeias fecharam hoje mistas, pendentes de novo do ‘Brexit’ e à espera da reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira, a última de Mario Draghi na liderança.

O FTSE 100 de Londres subiu 0,67% para 7.260,7 pontos. Já a bolsa de Paris caiu 0,08% para 5.653,4 pontos, o alemão DAX ganhou 0,34% para 12.798,2 pontos, e o FTSE MIB de MIlão perdeu 0,60% para 22.351 pontos. O Ibex subiu 0,05% para 9.385 pontos.

O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, subiu 0,11% para 395,03 pontos. Já o EuroStoxx 50 valorizou 0,06% para 3.606,9 pontos.

“As praças europeias oscilaram entre ganhos e perdas ligeiras ao longo de toda a sessão mas a maioria acabou por encerrar em alta. O novo impasse no Brexit foi compensado pela expectativa que os líderes europeus aceitem uma extensão do prazo para a saída do Reino Unido da União Europeia, ainda que Boris Johnson tenha dito que o Presidente francês poderia vetar essa decisão”, diz o analista do Millennium bcp, Ramiro Loureiro.

“Os fracos dados revelados ontem pela Texas Instruments castigaram ainda assim o sentimento no setor tecnológico europeu. Em Wall Street a sessão é de ganhos, com o Dow Jones a ser impulsionado pela valorização da Boeing, Apple e Travelers.   É natural que os investidores estejam já de olhos postos nas conclusões de política monetária do BCE, que serão comunicadas amanhã pela hora de almoço, o que os levou a adotarem uma postura wait and see”, acrescenta o analista.

Na sessão as atenções mantiveram-se focadas nos resultados empresariais apresentados na Europa e nos EUA.

No cenário empresarial, o setor automóvel registou uma ligeira perda, apesar do contributo positivo da Peugeot cuja reação se ficou a dever à apresentação dos seus resultados. A empresa francesa reportou resultados que se enquadram nas estimativas dos analistas, tendo confirmado os objetivos para 2020-2021.

O volume de negócios do Groupe PSA no terceiro trimestre de 2019 elevou-se a 15.579 milhões de euros, face aos 15.428 milhões de euros registados no mesmo período de 2018. Já o volume de negócios da divisão Automóvel alcançou os 11.824 milhões de euros, crescendo 0,1%, comparativamente ao terceiro trimestre de 2018.

“Os resultados da Peugeot constituem um sinal de esperança para o sector automóvel que recentemente foi abalado pelos profit warnings da Renault e da Volvo”, escreve o analista do BPI no seu comentário de fecho.

“A empresa de engenharia ABB anunciou resultados aquém do estimado, mas mesmo assim reiterou que irá conseguir cumprir com as metas propostas para este ano”, destaca o BPI.

“No retalho, o Carrefour reportou receitas (excluindo a China) de 20,2 mil milhões, em linha com o estimado. As ações da terminaram o dia com uma valorização superior a 1%”, refere o comentário de fecho do BPI.

O petróleo está em alta, com o Brent a valorizar 1,02% para 60,31 dólares.

A dívida soberana no mercado secundário está a cair na Alemanha, Portugal e Espanha e a subir em Itália.

Na Alemanha as bunds caem 2,6 pontos base para -0,394%; a dívida portuguesa cai 1,6 pontos base para 0,197% e Espanha cai 1,1 pontos base para 0,25%. A “yield” a 10 anos portuguesa continua abaixo da espanhola. Itália vê os juros subirem 1,2 pontos base para 0,936%.

O euro cai 0,05% para 1,1119 dólares.

 

 

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de Nova Iorque fecha mista com perdas das retalhistas

Os títulos da Kohl’s tombaram 19%. A cadeia de lojas de departamento baixou as suas perspetivas de lucro e admitiu que os descontos promocionais iriam prejudicar os ganhos.

Moody’s atribui à dívida da TAP quinto nível de “lixo”

A agência de notação financeira norte-americana atribuiu o ‘rating’ “B2” à emissão de obrigações anunciada ontem.

Ações da Benfica SAD fecham a subir 70% para 4,70 euros após anúncio de OPA

Na sessão de hoje foram transacionadas quase 237 mil ações da Benfica SAD, número que supera a média diária de 5,7 mil títulos, segundo o ‘site’ da Euronext Lisboa.
Comentários