Boris Johnson está a ser investigado por passar férias nas Caraíbas

Em investigação estão umas férias nas caraíbas no valor de 17,5 mil euros que supostamente foram do fundador da Carphone Warehouse e doador conservador David Ross.

Boris Johnson | Twitter

Boris Johnson está sob investigação sobre o pagamento de umas férias nas Caraíbas com a noiva Carrie Symonds antes da pandemia, segundo o “The Guardian”, desta segunda-feira.

A informação foi avançada pela parlamentar, Kathryn Stone. A investigação recai sobre uma viagem às Caraíbas para comemorar o ano novo, no final de 2019 e começo de 2020. O “Daily Mail” relatou que Johnson tinha passado 10 dias numa casa de campo de luxo no valor de 15 mil libras (17,5 mil euros) , supostamente por cortesia do fundador da Carphone Warehouse e doador conservador David Ross.

As suspeitas surgiram quando o “Daily Mail” noticiou que um porta-voz de Ross inicialmente disse que este não pagou pela viagem, antes de voltar atrás nesta versão e contar que Ross teria “facilitado” a viagem.

Kathryn Stone apontou que “os membros [do Parlamento britânico] devem cumprir conscienciosamente os requisitos em relação ao registo de interesses”. Segundo Stone, o assunto sob investigação corresponde a um “registo de interesse na categoria 4 do guia de regras [visitas fora do Reino Unido] em 2020”.

Por sua vez, Downing Street garante que Johnson “declarou de forma transparente” as suas férias.

Enquanto Johnson enfrenta as acusações pelas férias, a Comissão Eleitoral continua a investigação sobre o Partido Conservador relativamente a um empréstimo para cobrir obras no apartamento de Downing Street de Johnson e Symonds que não foi devidamente declarado.

 

 

Relacionadas

Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia

“Acho que um referendo no contexto atual é irresponsável e temerário”, disse o primeiro-ministro em entrevista ao jornal “The Telegraph”, quando questionado sobre se aceitaria uma nova consulta depois da realizada em 2014, na qual os escoceses votaram pela permanência no Reino Unido. 

Boris Johnson alerta para variante indiana do vírus

“Estamos a realizar uma grande quantidade de testes para encontrarmos surtos da variante indiana”, disse o primeiro-ministro britânico.
Recomendadas

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 

Brexit. Boris Johnson “não hesitará” em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

UE e Reino Unido estão em conflito aberto porque este último tomou medidas unilaterais para mitigar o impacto da introdução de controlos aduaneiros na circulação de algumas mercadorias, como produtos alimentares frescos, o que levou a Comissão Europeia a levantar um processo de infração em março. 

G7. Líderes acordaram lançar plano de infraestruturas para combater projeto da China

A proposta dos EUA visa mobilizar capital do sector privado para promover projetos em quatro áreas: clima, segurança sanitária, tecnologia digital e igualdade de género, além de contar com investimentos de instituições financeiras.
Comentários