BP avança com perfuração no bloco petrolífero angolano com 44 milhões de barris

A BP Angola, que é a operadora do Bloco 18 e a detentora dos direitos de exploração desta zona do offshore desde 2007, indica que o início dos trabalhos foi possível graças à chegada a Angola do navio DS-12.

ExxonMobil (41.90 mil milhões)​​

A BP Angola anunciou esta terça-feira que avançou recentemente com a perfuração no Bloco 18, um projeto de 44 milhões de barris de petróleo em reservas estimadas, com a projeção de uma produção de 30 mil barris por dia.

Em comunicado, a BP Angola, que é a operadora do Bloco 18 e a detentora dos direitos de exploração desta zona do offshore desde 2007, indica que o início dos trabalhos foi possível graças à chegada a Angola do navio DS-12.

Este navio vai perfurar quatro poços (dois de produção e dois de injeção) no desenvolvimento do campo Platina, com o apoio de dois navios de carga, um deles equipado com veículos de operação remota (VOR), e outro preparado para dar resposta a situações de emergência.

O presidente da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Paulino Jerónimo, sublinha a importância do projeto: “Convém não esquecermos o período difícil por que passa o mercado e o setor a nível mundial”.

Ressalvou ainda “o significado que tem para Angola o compromisso das grandes operadoras e o trabalho que continuam a realizar”.

Por seu lado, o vice-presidente sénior da BP Angola, Adriano Bastos, afirma que “o progresso do projeto Platina reitera o compromisso da BP com Angola e representa um forte contributo da mesma para a concretização da estratégia de longo prazo do Governo no setor de petróleo e gás”.

“Estamos verdadeiramente satisfeitos por, graças ao trabalho extraordinário das nossas equipas e à estreita colaboração com o nosso parceiro SINOPEC, estarmos a conseguir avançar com este projeto de forma muito eficiente. Recordo que estamos a reduzir em 20% os custos, estamos a conseguir aumentar em 10% as reservas estimadas do mesmo e prevemos antecipar em 12 meses a sua conclusão”, disse.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários