BPI vai voltar a premiar as startups mais inovadoras

Em Portugal, a iniciativa conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e da Transição Digital e também com o apoio da Agência Nacional de Inovação (ANI), através do programa ‘Born from Knowledge’ (BfK).

Rafael Marchante/Reuters

No âmbito da quarta edição dos ‘Prémios Empreendedor XXI’, o BPI em conjunto com o banco espanhol CaixaBank vão premiar as startups mais inovadoras da península ibérica. Os empreendedores têm até ao próximo dia 4 de dezembro para apresentar as candidaturas.

A iniciativa anual destina-se a distinguir empresas inovadoras com menos de três anos de atividade e distinguem os seus projetos em duas categorias – prémios territoriais (2 regiões em Portugal e 17 em Espanha) e prémios desafios (8 a nível ibérico).

Em Portugal, a iniciativa conta com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e da Transição Digital e também com o apoio da Agência Nacional de Inovação (ANI), através do programa ‘Born from Knowledge’ (BfK). Pelo terceiro ano consecutivo, será entregue a distinção BfK à melhor empresa portuguesa “nascida do conhecimento” e que mais se tenha destacado em atividades de Investigação & Desenvolvimento (I&D), sendo atribuído um troféu “Árvore do Conhecimento”.

Os ‘Prémios Empreendedor XXI’ atribuem em Portugal dois prémios às empresas com maior impacto na área geográfica de origem, um na zona Norte e Centro e outro em Lisboa, Sul e Ilhas. Os vencedores territoriais receberão 5 mil euros. As empresas candidatas concorrem ainda, a nível ibérico, aos “Prémios Desafios”, que vão premiar as empresas com mais potencial para responder aos novos desafios da sociedade, as quais receberão um prémio monetário de 15 mil euros.

As categorias que compõem os “desafios da sociedade atual” são: Cidade (soluções sustentáveis), Vive (soluções que ajudem à reativação do setor hoteleiro), Bem-estar (propostas que ajudem a melhorar a saúde dos cidadãos e a sua prevenção), Semente (soluções tecnológicas relacionadas com a produção agropecuária, tecnologia e produtos para a indústria agroalimentar), Planeta (sustentabilidade ambiental), Banco (solução para conseguir um novo modelo de banca mais próxima ao cliente), Juntos (iniciativas de impacto social) e Deeptech (aumentar a competitividade da indústria).

Tanto os vencedores a nível territorial como as empresas distinguidas nas diferentes categorias e um finalista de cada desafio terão acesso a um programa de acompanhamento internacional como o “Moonshot Thinking”, organizado pela ESADE em colaboração com especialistas de Silicon Valley, e receberão mentoring especializado. Nesta edição serão atribuídos 35 prémios no total.

Ler mais
Recomendadas

Criar uma startup em 2021? Atenção às “potenciais armadilhas”, alerta investidor norte-americano

“É fantástico que as duas vacinas experimentais Moderna e Pfizer mostrem resultados de eficácia superiores a 95%. Acho é que devemos ser um bocadinho conservadores sobre quanto é que isso vai afetar os negócios, as economias”, argumentou Geoff Ralston.

Tecnológica de Leiria recruta mais de 20 pessoas

Reatia, uma ‘proptech’ fundada pelo empreendedor português Hugo Venâncio, recebeu financiamento de 1 milhão de euros em outubro.

Como é que as empresas criam empreendedores? “De T.A.M. para T.A.P.”, diz Bionic

“Temos de acabar com o vício de estarmos corretos”, advertiu o empreendedor norte-americano David Kidder no terceiro e último da Web Summit.
Comentários