BPI volta a premiar empreendedores. Startups podem receber até 15 mil euros e uma viagem a Silicon Valley ou Cambridge

As inscrições para os “Prémios Empreendedor XXI” decorrem até ao próximo dia 4 de dezembro. O concurso conta com o apoio da Agência Nacional de Inovação e o Alto Patrocínio do Ministério da Economia.

Rafael Marchante/Reuters

O BPI vai voltar a galardoar as microempresas que tenham potencial de crescimento em Portugal, no âmbito dos “Prémios Empreendedor XXI”, e tem entre 5 mil e 15 mil euros para oferecer às que mais se destaquem. A iniciativa é organizada pelo banco e pela divisão do CaixaBank chamada DayOne, contando ainda com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e o apoio da Agência Nacional de Inovação (ANI).

As inscrições decorrem até ao próximo dia 4 de dezembro e destinam-se a empresas inovadoras com menos de três anos de atividade. Os prémios vão distinguir os melhores projetos em duas categorias: territorial (duas regiões em Portugal e 17 em Espanha) e setorial (seis setores a nível ibérico). Nas categorias territoriais em Portugal serão premiadas as duas startups com maior impacto na área geográfica de origem – uma na zona Norte e Centro e outra em Lisboa, Sul e Ilhas.

Os vencedores receberão, além desse “financiamento”, um passaporte de acesso a programas de acompanhamento internacional que, de acordo com o seu perfil, os levarão a Silicon Valley para participar num programa organizado pela ESADE e pela Singularity University, ou à Universidade de Cambridge, onde é ministrado o curso “Ignite Fast Track”.

A melhor empresa portuguesa “nascida do conhecimento” e que mais se tenha destacado em atividades de Investigação & Desenvolvimento (I&D) vai receber o Born from Knowledge (BfK).

“O papel da ANI passa por incentivar o investimento privado em I&D e o aumento da capacidade nacional de inovação, nomeadamente através da ligação entre a ciência e as empresas, da promoção da inovação colaborativa e da valorização do conhecimento”, refere António Bob Santos, administrador da ANI. “Apesar de o sucesso dos projetos das empresas candidatas não depender da conquista desta distinção, os Prémios Empreendedor XXI contribuem para o reconhecimento dos mesmos e dão um impulso importante para o seu sucesso no mercado”, acrescenta.

Na edição anterior foram as sete empresas portuguesas Pro-Drone (Sul e Ilhas) e Exogenus Therapeutics (Norte e Centro), Seacliq – Lota Digital, HUUB, NU-RISE, PeekMed e LOQR as vencedoras. Os vencedores da edição 2020 serão conhecidos no primeiro semestre do próximo ano.

Ler mais
Relacionadas

CaixaBank, Global Payments e Ingenico Group criam programa de inovação

O programa Zone2Boost vai identificar as melhores fintechs e startups do sector do comércio.

BPI desafia empreendedores a serem os “incumbentes do futuro”

O banco promove esta quarta-feira a sua primeira cimeira dedicada a estes pequenos negócios. Josemaría Siota, diretor de Investigação da IESE, disse que as startups ibéricas criaram 2.976 empregos em 2017 e arrecadaram 166,3 milhões de euros durante esse ano.
Recomendadas

“Há bancos que podem ter de vir a realizar aumentos de capital”, alerta Faria de Oliveira

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos, defende que a banca é essencial e “vai ter papel decisivo no resgate à economia”. Ainda assim, Faria de Oliveira admite que há bancos que podem ter de vir a realizar aumentos de capital porque, para enfrentar a crise pandémica, a rentabilidade vai diminuir.

Faria de Oliveira: “Novo Banco? Os compromissos de Estado são para cumprir”

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Faria de Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Bancos, considera que, sobre os pagamentos do Fundo de Resolução ao Novo Banco, existindo um compromisso escrito através de um contrato, “o não cumprimento em termos de reputação do país é extremamente negativo”.

PremiumNova injeção do Estado no Novo Banco ainda é hipótese

Estão a ser estudadas alternativas para financiar o Fundo de Resolução e garantir a próxima injeção. Sindicato de bancos nacionais é hipótese e inscrição de verba no OE ainda não foi afastada.
Comentários