BPI volta a premiar empreendedores. Startups podem receber até 15 mil euros e uma viagem a Silicon Valley ou Cambridge

As inscrições para os “Prémios Empreendedor XXI” decorrem até ao próximo dia 4 de dezembro. O concurso conta com o apoio da Agência Nacional de Inovação e o Alto Patrocínio do Ministério da Economia.

Rafael Marchante/Reuters

O BPI vai voltar a galardoar as microempresas que tenham potencial de crescimento em Portugal, no âmbito dos “Prémios Empreendedor XXI”, e tem entre 5 mil e 15 mil euros para oferecer às que mais se destaquem. A iniciativa é organizada pelo banco e pela divisão do CaixaBank chamada DayOne, contando ainda com o Alto Patrocínio do Ministério da Economia e o apoio da Agência Nacional de Inovação (ANI).

As inscrições decorrem até ao próximo dia 4 de dezembro e destinam-se a empresas inovadoras com menos de três anos de atividade. Os prémios vão distinguir os melhores projetos em duas categorias: territorial (duas regiões em Portugal e 17 em Espanha) e setorial (seis setores a nível ibérico). Nas categorias territoriais em Portugal serão premiadas as duas startups com maior impacto na área geográfica de origem – uma na zona Norte e Centro e outra em Lisboa, Sul e Ilhas.

Os vencedores receberão, além desse “financiamento”, um passaporte de acesso a programas de acompanhamento internacional que, de acordo com o seu perfil, os levarão a Silicon Valley para participar num programa organizado pela ESADE e pela Singularity University, ou à Universidade de Cambridge, onde é ministrado o curso “Ignite Fast Track”.

A melhor empresa portuguesa “nascida do conhecimento” e que mais se tenha destacado em atividades de Investigação & Desenvolvimento (I&D) vai receber o Born from Knowledge (BfK).

“O papel da ANI passa por incentivar o investimento privado em I&D e o aumento da capacidade nacional de inovação, nomeadamente através da ligação entre a ciência e as empresas, da promoção da inovação colaborativa e da valorização do conhecimento”, refere António Bob Santos, administrador da ANI. “Apesar de o sucesso dos projetos das empresas candidatas não depender da conquista desta distinção, os Prémios Empreendedor XXI contribuem para o reconhecimento dos mesmos e dão um impulso importante para o seu sucesso no mercado”, acrescenta.

Na edição anterior foram as sete empresas portuguesas Pro-Drone (Sul e Ilhas) e Exogenus Therapeutics (Norte e Centro), Seacliq – Lota Digital, HUUB, NU-RISE, PeekMed e LOQR as vencedoras. Os vencedores da edição 2020 serão conhecidos no primeiro semestre do próximo ano.

Ler mais
Relacionadas

CaixaBank, Global Payments e Ingenico Group criam programa de inovação

O programa Zone2Boost vai identificar as melhores fintechs e startups do sector do comércio.

BPI desafia empreendedores a serem os “incumbentes do futuro”

O banco promove esta quarta-feira a sua primeira cimeira dedicada a estes pequenos negócios. Josemaría Siota, diretor de Investigação da IESE, disse que as startups ibéricas criaram 2.976 empregos em 2017 e arrecadaram 166,3 milhões de euros durante esse ano.
Recomendadas

SNQTB e SIB pedem ao Ministério do Trabalho intervenção para ultrapassar impasse com a CGD

“Tendo em conta que o processo negocial, por responsabilidade da CGD, já se arrasta há demasiado tempo, nomeadamente porque a CGD interrompeu as negociações entre setembro e dezembro de 2019, estes sindicatos tomaram a iniciativa de solicitar a Conciliação”, refere o comunicado conjunto.

BPI e Fundação la Caixa destinam 3,75 milhões para projetos do terceiro setor

A iniciativa visa apoiar respostas sociais em áreas como a Infância, Inclusão, Envelhecimento, Deficiência e Rurais. As candidaturas para a 2ª edição do Prémio BPI ”la Caixa” Infância estão abertas de 28 de Janeiro até 24 de fevereiro.

“Não estamos disponíveis” para chegar a acordo com a CGD, garante sindicato dos bancários

Face à continuada intransigência demonstrada pelos representantes da Caixa Geral de Depósitos no processo negocial em curso para a revisão do Acordo de Empresa, que prevê o novo enquadramento laboral que irá vigorar nos próximos dois anos, o Sindicato dos Bancários do Norte (SBN) requereu, junto do Ministério do Trabalho, a Conciliação.
Comentários